quarta-feira, 14 de março de 2012

Ato marca início das obras da Sala Sinfônica da Ospa (RS)


O início simbólico das obras da Sala Sinfônica da Orquestra Sinfônica de Porto Alegre (Ospa) ocorreu no fim da tarde deste domingo, no Parque Harmonia, com o aperto do botão da máquina responsável pelas fundações. O sonho da comunidade cultural gaúcha, que terá espaço para 1,5 mil lugares, deve se concretizar até 2014.
 O evento contou com a presença do governador Tarso Genro, do secretário de Cultura, Luiz Antônio de Assis Brasil, do prefeito José Fortunati, do presidente da Ospa, Ivo Nesralla, e do deputado Paulo Pimenta.

O ato ocorreu antes do Concerto de Abertura da Ospa em 2012, com obras de Tchaikovsky (“Capricho Italiano” e “Abertura 1812”), Rossini (O , Bizet (“Carmen”), Donizetti, Puccini “(“Tosca”) e outros, sob regência de Tiago Flores, com os solistas Juremir Vieira (tenor) e Carlos Rodriguez (barítono) e a banda do 3º Batalhão da Polícia do Exército.

 O governador Tarso Genro ressaltou que esta Sala “é uma conquista do Rio Grande que não pode ser menosprezada, que terá uma qualidade técnica e de acústica em padrões internacionais”. O presidente da Ospa, Ivo Nesralla, destacou que o momento é de emoção pelo início da obra de realização de um sonho que dura 60 anos da sede própria da Orquestra Sinfônica de Porto Alegre.

 O secretário de Cultura, Luiz Antônio de Assis Brasil agradeceu a todos que envidaram esforços para que este sonho começasse a se materializar em especial à bancada gaúcha na Câmara dos Deputados, representada naquele momento pelo presidente da Comissão de Orçamento, Paulo Pimenta, por aprovar uma verba de bancada, de R$ 20 milhões, empenhada pelo Ministério da Cultura e que será conveniada nas próximas duas semanas. Aos músicos, Assis prometeu resolver o problema da precariedade do local de ensaios provisório no Cais do Porto e também um estudo sobre o equacionamento dos salários para competir em valores com as demais orquestras públicas do mercado nacional.
Postar um comentário