quarta-feira, 17 de março de 2010

Voz Ativa lança o Cd Spirituals, Primeira fase do Projeto Música Preta


Sobre o Spiritual e a primeira fase do Projeto Música Preta

Spiritual é o gênero musical criado pelos negros escravos dos EUA, africanos capturados e trazidos para a América no tráfico negreiro a partir do século XVII. Essa música é considerada folclórica (folksong) visto que era transmitida oralmente, tinha autoria anônima e apresentava utilidade social.
O processo de sedimentação dessa música ocorreu a partir de um conjunto de propósitos como a comunicação e solidariedade entre os indivíduos da comunidade escrava, canção de trabalho e indicação de fuga, expressão de sentimentos pessoais e partilha de sofrimento, além, naturalmente, de funções religiosas como a evangelização. O desenvolvimento dessa linguagem musical, que procurava compensar a negação de necessidades materiais e subjetivas, somado à musicalidade particular dos negros, conferiram ao gênero um caráter universal.
O Negro Spiritual pode ser classificado basicamente em três categorias: “Call and response”, (pergunta e resposta entre solista e coro), “Slow and melodic” (lento e melódico) e “Fast and rhythmic” (alegre e ritmado).
Com uma evangelização compulsória por seus senhores protestantes, os escravos norte-americanos passaram a expressar uma nova religiosidade com diversos componentes de sua cultura original. Suas músicas, por exemplo, citavam personagens e eventos bíblicos por identificação e afinidade pessoal e histórica. Do Antigo Testamento, personagens como Moisés, David e Daniel personificavam a superação de grandes atribulações e a iminência da vitória. Do Novo Testamento, referências ao próprio Jesus Cristo traziam um novo significado para a morte e, além dela, uma nova vida com liberdade. Também, citações ao Rio Jordão podiam codificar planos de fuga para os “Underground Railroad”, locais formados pelos negros fugitivos após a travessia do Rio Ohio.
Muitas palavras utilizadas nas letras do Negro Spiritual possuem fonemas alterados pelo modo coloquial e não acadêmico com que os escravos falavam. Também, letras são excluídas ou adicionadas às palavra a fim de atender à prosódia das canções: heavn ou heb’n (heaven), ligion (religion), dere (there) entre tantas outras. Após a abolição da escravatura, em 1865, o Negro Spiritual passou a ocupar um lugar puramente histórico, uma vez que os escravos libertos e seus descendentes evitavam cantá-los pelo sentimento de exposição de um momento repudiado.
Na década de 1920, o Fisk Jubilee Singers, grupo de cantores da Universidade de Nashville, Tennessee, iniciou uma série de apresentações de Spirituals pelos EUA e Europa com o objetivo de angariar fundos para a instituição. O sucesso da iniciativa inaugurou o período mais fértil da cultura negra na América, entre 1920 e 1940, conhecido como Black Renaissance. Desde então, o Negro Spiritual tem sido amplamente difundido e explorado comercialmente, inclusive com composições novas de protestantes negros. Sua abrangência e representatividade conferiram-lhe o título de patrimônio cultural dos EUA.
O Voz Ativa, no presente trabalho, interpreta 16 Negro Spirituals tradicionais, a cappela e com acompanhamento de piano, com arranjos conhecidos e outros próprios, elaborados exclusivamente para esse projeto por Ricardo Barbosa e Regiane Martinez. Em diversos momentos, por exemplo, procurou-se mesclar nossa brasilidade nos arranjos, introduzindo de maneira discreta, mas presente, conduções harmônicas consagradas pela bossa nova.

Serviço:
Voz Ativa Madrigal
Lançamento do Cd Spiritual
19/03/2010 - 20H30 - Ingresso: R$10,00
Teatro Municipal de Osasco
Av. dos Autonomistas, 1533 - Campesina
Contato: contato@vozativamadrigal.com.br -Tel. 11 3656-2776
Postar um comentário