sexta-feira, 26 de outubro de 2012

Os primeiros passos para fazer cursos no exterior



Está pensando em estudar fora do Brasil? Veja 11 dicas de especialistas para se planejar.
Entre a ideia inicial e a chegada em uma universidade ou escola em outro país, muita gente se perde entre informações, documentos, malas e preocupações. Para que a preparação para o aperfeiçoamento profissional em terras estrangeiras seja o mais eficiente e prazeroso possível, especialistas apontam sugestões que podem salvar a praparação para uma viagem de estudo ao exterior.

1. Planejar antecipadamente

Deixar para resolver as coisas de última hora não é o mais indicado. “Todas as etapas precisam ser planejadas com cerca de 10 meses de antecedência para que sejam analisadas com calma e para que possíveis imprevistos sejam solucionados”, explica Ana Beatriz Faulhaber, diretora da CP4.

Quem pensa em fazer pós-graduação no exterior, precisa ficar atento às datas de início do ano letivo no país de destino, para dar tempo de resolver a documentação e testes necessários. Algumas datas, como para solicitar o visto de estudante, independem da eficiência e vontade do candidato e as filas de espera podem ser longas.

“A depender do curso e país escolhido, o candidato precisa estar estudando a língua estrangeira a pelo menos três meses antes do embarque, para ter o mínimo de conhecimento que o deixará confortável na viagem”, destaca Silvia Bizatto, gerente da EF Brasil.

2. Definir o destino e o objetivo da viagem

Um profissional que não tem fluência no inglês, por exemplo, pode escolher diversos destinos alternativos aos Estados Unidos para aprender a língua, como África do Sul e Ilha de Malta. Além disso, é preciso ter em mente desde o início se o mais importante para o aprimoramento profisisonal será fazer cursos de línguas ou cursar especializações na área.

Além disso, para Ana Beatriz, “o participante do curso deve refletir se para ele importará mais a instituição de ensino ou o destino e, a partir das suas próprias vontades, pesquisar a viagem mais próxima do perfil pretendido”.

3. Encontrar o curso ideal

Decidido o objetivo da viagem, o estudante precisa encontrar um curso no país ou instituição desejada que vai atender às suas necessidades e o tempo que tem disponível. Para isso, precisa decidir, entre outras coisas, se fará imersão intensiva ou se pretende fazer turismo.

“Algumas pessoas escolhem um curso intensivo para fazer durante as suas férias, mas podem se frustrar diante do pouco tempo restante para conhecer o país estrangeiro”, alerta Silvia.

O futuro viajante precisa colocar no papel as datas que dispõe, o dinheiro que pode investir na viagem, a intensidade e frequência do curso e também o tipo de acomodação desejado. Com base nessas informações, as chances dele encontrar algo mais adequado para o seu perfil são maiores.

4. Conversar com quem já foi

Para os especialistas consultados, procurar pessoas que já foram ao país e, se possível, à escola escolhida, é recomendável para quem se sente inseguro. “Pesquisar com conhecidos é uma boa forma de receber dicas personalizadas que você não encontraria facilmente em sites ou guias de viagem”, diz Silvia.

5. Dar preferência a escolas e agências credenciadas

Uma outra forma de garantir a segurança da viagem e do investimento é ir atrás de escolas e agências que possuem credenciamento em órgãos responsáveis no país de destino. Em geral, a informação é disponibilizada no site da agência ou organização.

No caso das agências brasileiras, o credenciamento é feito pela Belta (sigla em inglês para Associação Brasileira de Educação e Viagem de Línguas). Em outros países, há órgãos específicos que confirma a idoneidade das instituições. Na Inglaterra, por exemplo, os cursos devem estar associados ao British Council.

“Estudar em escolas e agências credenciadas no país de destino facilita até a retirada de visto e a passagem pelo setor de imigração no aeroporto”, explica Bárbara Lopes, consultora da Sprachcaffe International no Brasil.

6. Aguardar carta de aceitação da escola

O participante do curso precisa preencher a ficha de inscrição na instituição de ensino escolhida e aguardar a carta de aceitação que será, posteriormente, apresentada no consulado do país de destino.

No caso de cursos específicos ou pós-graduação, o futuro viajante deverá estar atendo à necessidade de fazer testes e provas (como o TOEFL, exame de proficiência em língua inglesa, por exemplo) que serão requisitados para a inscrição na escola.

7. Tirar o visto

Para não ter problemas na entrada do país estrangeiro, o estudante precisará procurar as recomendações necessárias de acordo com o país para ter permissão de estudo. Os documentos podem estar relacionados desde visto a exames, seguros de saúde e carteira de motorista internacional.

Quem não estiver com passaporte em dia, também precisará solicitar um passaporte com novo prazo de validade. Veja informações sobre passaporte no site da Polícia Federal.

“As agências podem auxiliar, mas, mesmo assim, é importante a própria pessoa procurar informações para o visto de estudante e, se necessário, marcar as datas com antecedência, observando os prazos para embarque”, aconselha Bárbara. Em alguns países, como nos Estados Unidos, as datas para solicitação de visto poderão estar disponíveis somente meses depois da primeira procura.

8. Comprar passagens

Escolhido o curso e com permissão para estudar no país, é hora de comprar as passagens aéreas. As datas devem ser as da duração do curso, para não ter problemas com a imigração no país e destino.

“Não adianta ter apenas um mês de curso e comprar passagens para ficar seis meses, porque o risco de ser barrado na entrada do país é grande”, alerta Bárbara.

9. Documentos para a imigração

Na hora de fazer as malas para viagem, o viajante não pode esquecer da carta de confirmação do curso com informações sobre a matrícula, para confirmar o motivo da viagem. A carta e dados sobre acomodação também são importantes.

Alguns países solicitam vacinas e seguros de viagem, o estudante deve ficar de olho nas solicitações a depender do lugar de destino.

10. Pesquisar sobre o local

Nem só de preocupações vive a pessoa que está planejando um curso no exterior. Para se adaptar bem ao local onde vai morar, é importante pesquisar em sites e guias turísticos mais informações sobre a região.

Nos momentos de folga e fins de semana, pode ser possível fazer um passeio desejado e conhecer mais dos costumes locais.

11. Fazer malas

“Sempre recomendamos que a pessoa não leve as roupas com o peso limite de bagagem, porque provavelmente ela fará algumas compras no exterior”, aconselha Bárbara. A consultora sugere que os viajantes levem apenas o necessário, observando o clima do país de destino e também as restrições de bagagem de mão.

É indicado também que a quantidade de roupas seja adequada para o período da viagem, o orçamento e quantas vezes você irá mudar de cidade. Depois disso, é só embarcar com os documentos necessários para aproveitar a experiência de aprimoramento profissional no exterior.
Postar um comentário