segunda-feira, 11 de junho de 2012

Orquestra de Câmara Alemã Do.gma no Masp.


do.gma-Kammerorchester

Na próxima terça-feira, 12 de Junho, a série Música no MASP recebe mais uma atração internacional: a do.gma Chamber Orchestra, orquestra de câmara alemã dirigida pelo violinista Mikhail Gurewitsch. O programa tem obras de Mozart, Mendelssohn e ainda de Arthur Foote, compositor americano relativamente pouco conhecido.

A do.gma-Kammerorchester (Orquestra de Câmara do.gma) foi criada em 2004 pelo violinista Mikhail Gurewitsch, então 'concertmaster' da Orquestra de Câmara 'I Sedici', de Baden Württemberg. Desde então, jovens – mas experientes – músicos de todo o mundo têm se reunido na do.gma, sob a liderança de Gurewitsch, para fazer música de uma maneira moderna. A orquestra vem surpreendendo crítica e público de todo o mundo com seu espírito, com seus frescor e entusiasmo fascinantes e como uma leveza... não dogmática.

Para inspirar os jovens – A orquestra do.gma tem como objetivo levar a música clássica para uma nova geração de ouvintes. E faz isso mantendo-se fiel à música original mas ao mesmo tempo buscando de novas possibilidades interpretativas. O que inclui, por exemplo, todos os seus dezesseis integrantes tocarem sempre de pé.

        A orquestra leva a sério as intenções originais do compositor, mas expande o núcleo artístico da música para poder falar para uma geração mais jovem. O objetivo não é apenas inspirar os jovens, mas também formar novos entusiastas para a música clássica.

        Mais do que um grupo de músicos profissionais que compartilham a mesma visão artística, a do.gma é um conjunto de solistas, que reúne personalidades e as múltiplas experiências musicais de seus integrantes em um som acústico complexo. A tensão entre o impulso de solo e o espírito de grupo dá impulso à criatividade e constitui a substância artística da orquestra de câmara do.gma.

        Todas essas características têm influência direta na escolha do repertório. Os programas dos concertos da orquestra incluem não apenas obras dos períodos barroco, clássico e romântico, mas também peças de compositores contemporâneos, por vezes dos próprios membros da do.gma.

        A música clássica precisa ser "tradicional"? Será que é preciso ter anos de experiência para poder entender a música clássica? "Absolutamente não!", é a resposta que dão Mikhail Gurewitsch e os integrantes da do.gma.

Três obras – Em sua primeira turnê brasileira, o repertório escolhido pela Orquestra de Câmara do.gma para seu concerto na Série Música no MASP inclui três obras:
W. A. Mozart (1756-1791), Divertimento em fá maior para cordas K.138 – Peça de 1772, a terceira de uma série de "Divertimentos", foi escrita em Salzburgo pouco depois de Mozart passar alguns meses em Milão – e por isso acaba expressando traços típicos da música italiana da época.
Arthur Foote (1853-1937), Suíte em mi maior Op. 63 – Escrita em 1907-1908, é a mais famosa peça orquestral de Foote, compositor americano orientado pela tradição romântica europeia que destaca-se pelo fraseado expressivo e pelo lirismo de suas melodias. A obra está gravada no segundo e recém-lançado álbum da orquestra, "do.gma#2 – American Stringbook".
F. Mendelssohn (1809-1847), Sinfonia para cordas N° 12 em sol menor – A última de uma série de doze obras para cordas, escritas entre 1821 e 1823, quando o compositor tinha apenas entre 12 a 14 anos de idade! Mas o jovem Mendelssohn revelava excepcional técnica composicional, evocava mas arriscava já dar um passo além do estilo de mestres como Haydn, Mozart e Beethoven. E mais: demonstrava perceber claramente o potencial da orquestra de cordas.

S E R V I Ç O

Série MÚSICA NO MASP
Sempre às terça-feiras, 12:30 horas
12 de Junho
do.gma Orquestra de Câmara
Mikhail Gurewitsch, violino e direção musical
MASP (grande auditório, 374 lugares)
Av. Paulista 1578, Bela Vista, tels. 3266-3645 e 3266-3569
Quanto: ENTRADA FRANCA
Retirada de ingressos na bilheteria do museu
Duração: ~60 min
Indicação etária: Livre para todos os públicos
Postar um comentário