terça-feira, 28 de agosto de 2012

Apresentação da Orquestra Sinfônica do Estado de São Paulo no Concertgebouw faz agora parte da história



A Orquestra de São Paulo surpreendeu o público holandês ao se apresentar na Grande Sala do Concertgebouw, em Amsterdã, no último domingo (19). Joel Galmacci é gerente da OSESP desde 2006 e conversou com o BnH. “Há muitos anos a orquestra almeja tocar aqui, por isso hoje é um dia super especial. Os músicos e a maestrina estão muito emocionados. Esse dia entrou para a história da orquestra, todo mundo está muito feliz, por isso abraçaram-se no final”, diz.

Galmacci tem formação como violonista erudito, e apesar do violão não ser aceito como parte de uma orquestra, ele diz que tem muito orgulho do que faz. “Sempre adorei o ambiente de orquestras, principalmente a orquestra do conservatório onde estudava. Esse foi um atalho para mim, uma grande oportunidade de trabalhar num projeto dessa magnitude. Tocando violão eu jamais estaria junto com a uma orquestra. Fico muito orgulhoso por conseguir atuar nos bastidores e participar de algo tão importante para o Brasil”, analisa.

Para a turnê pela Europa, a OSESP enviou uma equipe de 100 músicos. A multinacionalidade de São Paulo está refletida nas 17 nacionalidades que integram a orquestra, mas os brasileiros são maioria. “A orquestra tem agenda lotada, porém, temos um  contingente grande, então há revesamento para que os músicos consigam atuar sem prejuízos artísticos. Uma turnê é sempre cansativa, mas eles tiram energia do estímulo que é poder tocar numa sala como essa do Concertgebouw”, explica.
Postar um comentário