terça-feira, 21 de agosto de 2012

Seis produções brasileiras participam da 60ª edição do Festival de San Sebastián



A mostra ‘Horizontes latinos’, que faz parte do 60º Festival Internacional de Cinema de San Sebastián, no País Basco, contará com três produções brasileiras entre os doze filmes selecionados. São eles: Era uma vez Verônica, de Marcelo Gomes; Infância clandestina, de Benjamín Ávila -  coprodução entre Argentina, Espanha e Brasil; e La playa -  coprodução entre Brasil, França e Colômbia, dirigida por Juan Andrés Arango. O festival será realizado entre 21 e 29 de setembro.

A retrospectiva ‘Em Construção – Dez anos do Cinema Latino-Americano’ também conta com outros três títulos brasileiros: Cinema, aspirinas e urubus (2004), de Marcelo Gomes; É proibido proibir (2005), de Jorge Durán; e O banheiro do Papa (2005), coprodução entre Uruguai, Brasil e França, dirigida por Enrique Fernández e César Charlone.

Na retrospectiva serão exibidos 18 filmes latino-americanos, produzidos nos últimos dez anos com apoio do programa Cine en Construcción, mantido pelo festival.

O Programa Cinema do Brasil, associação de promoção do cinema brasileiro no mundo, levará para o evento dez projetos em desenvolvimento, de produtoras associadas e com potencial de coprodução internacional. As inscrições para o encontro estão abertas até 15 de agosto e o formulário se encontra no site do Cinema do Brasil.

Os filmes brasileiros
Era uma Vez Verônica traz a história de uma jovem de 24 anos que vive uma fase de transição. Terminou de se formar em Medicina e mora com o pai. Vive um momento de tomada de decisões, de busca de destinos para a sua vida, do conhecimento de si mesma.

Infância Clandestina conta a trajetória do menino Juan, que leva uma vida incomum para uma criança: fora de casa é conhecido por outro nome, Ernesto.
La Playa fala da vida de Tomás, um jovem afro-colombiano que foge de seu vilarejo e da guerra para a viver no bairro “La Playa”, em Bogotá.

Cinemas, Aspirinas e Urubus aborda o encontro, em 1942, no meio do sertão nordestino, de dois homens vindos de realidades bem diferentes. Um deles é o alemão Johann, fugido da 2ª Guerra Mundial, e outro é Ranulpho, pessoa simples que sempre viveu no sertão.

Em É proibido proibir,  Paulo é um estudante de Medicina que divide uma quitinete com Leon, seu melhor amigo e estudante de sociologia. Leon namora Letícia, mas ela e Paulo se apaixonam.

O Banheiro do Papa se passa em 1998, na cidade de Melo, fronteira entre o Brasil e o Uruguai. O local está agitado, devido à visita em breve do Papa. Beto, um contrabandista, decide criar o banheiro do Papa, onde as pessoas poderão se aliviar
Postar um comentário