segunda-feira, 20 de agosto de 2012

Janaína Mello – Voz Ativa Madrigal – 15 anos

Janaína Mello

A contralto Janaína é parte daquele grupo de pessoas que desenvolve paixão por aquilo que faz entregando-se de corpo e alma, não é dado ao muito falar, mas muito aplicada no fazer. Isso não representa dizer, de maneira nenhuma, que se tratava de uma pessoa apática socialmente, pelo contrário, a exemplo de sua irmã Pecata, herdara de seu pai um lado romântico boêmio que aflorava facilmente.
Pessoa calada, mas divertida, característica que só quem se aproximava mais intimamente descobria, adora MPB tem um lado altruísta muito marcante que se manifesta sempre que dele se exige.
Como cantora, pertence ao grupo de pessoas que faz musica muito mais envolvidas com o coração do que com a razão. Sua maneira de se expressar quando cantava era puro sentimento e não raro, seu envolvimento com o que interpretava a colocava em saia justa em concertos e apresentações, visto que tal envolvimento se expressava fisicamente por intermédio de forte emoção.
A família Mello, era oriunda do Rio de Janeiro e guardava na prática o verdadeiro sentido da palavra “família” eram muito unidos e o pai, Seu Fidelis, tornou-se praticamente integrante do grupo, pessoa possuidora de um coração que abraça com carinho, frequentemente acompanhava o grupo, principalmente as apresentações em que o Voz Ativa interpretava MPB, paixão que, como já o dissemos, é legado da família e, tal qual as filhas, facilmente ia às lágrimas quando ouvia certas músicas, principalmente  “Goodbye Love”.
Janaína teve participação importantíssima nos primeiros anos do grupo, pois além de cantora foi a primeira secretária do grupo, função que desenvolveu com dedicação e competência até seu afastamento.
Talvez seu afastamento do grupo se deve justamente a esta forte união da família, pois logo após sua irmã se desligar do grupo ela também comunicou sua decisão de abandonar o trabalho. Para nós o respeito a sua decisão foi necessariamente maior do que nosso desejo que isto não acontecesse. A ausência das irmãs Mello foi sentida pelo grupo, mas sabíamos que a medida que o tempo ia passando maior seria as exigências para participar do trabalho e, talvez, ela não poderia dedicar-se o tempo necessário para  atender tal exigência. Para nós, pouco importa os motivos que a levaram a tomar tal decisão, importa sim o que ela representou não só como cantora ou secretária, mas principalmente por nos oferecer uma amizade que valeu e vale a pena.
Nosso carinho e gratidão a Janaína de Mello, sua participação foi fundamental para que o grupo caminhasse em firmes passos a partir da sua colaboração.

Postar um comentário