quarta-feira, 15 de junho de 2011

Primeira trompa da Filarmônica de Berlim é solista com a Osesp

Stefan Dohr, primeiro trompista da Orquestra Filarmônica de Berlim e um dos maiores nomes no instrumento em todo o mundo, será o solista da Orquestra Sinfônica do Estado de São Paulo nos dias 16, 17 e 18 de junho. Ele interpreta o Concerto nº 4 em mi bemol maior, KV 495 de Mozart, em um programa que conta ainda com a Suíte Antiga de Alberto Nepomuceno, Des Canyons Aux Étoiles: Appel Interstellaire de Olivier Messiaen e a Sinfonia nº 4, Op.90 – Italiana, de Mendelssohn.
A técnica perfeita e a entonação pura de Stefan Dohr tornaram-no mundialmente reconhecido como um dos maiores trompistas da atualidade. Começou a carreira na orquestra da Ópera de Frankfurt e, em 1993, foi escolhido trompista principal da Filarmônica de Berlim. Como solista, trabalhou com regentes como Daniel Barenboim, Bernhard Haitink e Claudio Abbado. Na música de câmara, apresentou-se ao lado de Maurizio Pollini e Ian Bostridge, entre outros. Além do repertório dos períodos clássico e romântico, Stefan Dohr se interessa também pela música contemporânea e apresentou diversas obras compostas especialmente para ele.
O regente norte-americano de 35 anos, Andrew Grams, é quem comanda a Osesp nas três apresentações e também no Ensaio Aberto que o grupo faz na Sala São Paulo na manhã da quinta-feira, dia 16, e em uma apresentação na série de Concertos Matinais, no domingo dia 19 às 11h no mesmo local.
No mesmo dia 19, no final da tarde, o trompista Stefan Dohr volta ao palco, mas desta vez como regente, para assumir um programa da Série de Câmara da Osesp, com obras de Arvo Part, Mozart, Martinu e Dvorák.
Revista Concerto
Postar um comentário