quinta-feira, 9 de agosto de 2012

Simpósio discute patrimônio musical


                              
A terceira edição do Simpósio Internacional de Musicologia acontece de 13 a 16 de agosto na Sala da Congregação da Escola de Música.
Iniciativa do Programa de Pós-Graduação em Música (PPGM), o III Simpósio Internacional de Musicologia será realizado de 13 a 16 de agosto e, este ano, discutirá o tema "Patrimônio Musical na Atualidade: Tradição, Memória, Discurso e Poder". Na pauta, um leque amplo de assuntos: os conceitos tradicionais de patrimônio musical (material e imaterial), os acervos e seus diferentes suportes, as políticas públicas e as iniciativas privadas nas áreas da arquivologia e da biblioteconomia, o acesso democrático a esses bens, o impacto das novas tecnologias e o papel dos pesquisadores na produção de conhecimentos, que, ao mesmo tempo, afirmam e enriquecem a herança cultural legada.
O simpósio ocorre simultaneamente à série de concertos comemorativos aos 164 anos de fundação da Escola de Música – “ela própria detentora de um dos mais ricos acervos de nosso país”, como diz com orgulho André Cardoso, diretor da instituição e um dos pesquisadores participantes.

Lembrando que “a música é a manifestação cultural que talvez melhor caracterize a diversidade do povo brasileiro”, Cardoso espera que o encontro ajude a “colocar o patrimônio musical no centro do debate entre musicólogos, etnomusicólogos, bibliotecários, arquivistas e administradores culturais”.

Para isso o evento congregará não só musicólogos, mas também dirigentes de instituições culturais e especialistas de áreas afins. A conferência inaugural está a cargo de Régis Druprat, docente da Universidade de São Paulo e um dos responsáveis pela renovação do campo entre nós. Como nos outros anos, participarão grandes especialistas do exterior. Estão confirmadas as presenças dos conferencistas Robin Moore, da Universidade do Texas, Austin, EUA; de Madeleine Leclair, do Musée du quai Branly, de Paris, vice-presidente da Sociedade Francesa de Etnomusicologia; e de Rui Vieira Nery, das Universidades Nova de Lisboa e de Évora, e da Fundação Calouste Gulbenkian, em Portugal.

Destacando que as edições do simpósio fazem parte do esforço para estabelecer “maior equilíbrio entre a produção artística e científica da Escola de Música”, Maria Alice Volpe (UFRJ), presidente da comissão cientifica, chama atenção para diálogo proporcionado entre especialistas brasileiros e estrangeiros. Um esforço, segundo ela, que busca “inserir a contribuição brasileira no cenário da musicologia internacional”.

A comissão organizadora do simpósio é formada por Marcos Nogueira (UFRJ), presidente, André Cardoso (UFRJ), Maria Alice Volpe (UFRJ), João Vidal (UFRJ), Pedro Bittencourt (UFRJ) e Ana Paula da Matta Machado Avvad (UFRJ). Já a comissão científica, além de Volpe, reúne Marcos Nogueira (UFRJ), Régis Duprat (Universidade de São Paulo), Ilza Nogueira (Universidade Federal da Paraíba), Diósnio Machado Neto (Universidade de São Paulo-Ribeirão Preto), Mary Angela Biason (Museu da Inconfidência, Ouro Preto) e Robin Moore (Universidade do Texas, Austin, EUA).

O livro "Patrimônio Musical na Atualidade" e os "Anais do Simpósio", com a versão integral dos trabalhos, serão publicados em formato impresso e eletrônico, disponibilizados gratuitamente no site da Escola e distribuídos para bibliotecas, instituições de pesquisa e culturais, e programas de pós-graduação.
Postar um comentário