sexta-feira, 5 de outubro de 2012

Ópera infantil “O Cavalinho Azul” vai à Escola



Depois de encantar plateias do mundo inteiro, “O Cavalinho Azul”, de Maria Clara Machado, chega à EM com a música de Tim Rescala. O ambicioso projeto “A escola vai à ópera”, da professora Maria José Chevitarese, tem como objetivo proporcionar às crianças a oportunidade de “vivenciar espetáculos operísticos de qualidade, em português, apropriados à sua faixa etária” – define. Com mais de 100 pessoas envolvidas, é uma realização do Coral Brasil Ensemble-UFRJ – cujos participantes e alunos da EM compõem o elenco. Além da Escola, conta apoio da Belas Artes (EBA/ cenário e figurino), da Comunicação (ECO/assistência de direção cênica e iluminação), e da Pró-Reitoria de Extensão. O Coro Infantil da UFRJ participa com o personagem Vicente, vivido por Vitor Hugo do Carmo. A pianista é Claudia Feitosa, da EM, unidade que também colabora através dos setores Artístico e de Comunicação.
Divertido e com uma “poética universal”, o espetáculo aborda, no entanto, “um drama brasileiro” define o diretor cênico Claudio Castro Filho, pesquisador na Universidade de Coimbra, Portugal, professor de estética e teoria da arte no Instituto de Artes da UERJ e aluno de artes cênicas da UFRJ. “Talvez seja esta a obra que melhor caracteriza o vanguardismo da autora. Com um argumento muito simples – um menino que tenta reaver o cavalo de estimação, vendido por seu pai para matar a fome da família –, a dramaturga toca o dedo numa ferida nossa que, meio século depois, ainda não cicatrizou: a fome”, salienta. Tim Rescala, que “assim como Maria Clara, é marca registrada da arte carioca – foge de folclorismos e nos convida a uma viagem por diversos ritmos brasileiros, construindo uma opereta de rara elegância sonora”, completa.

Resumo da ópera

João de Deus, um andarilho de barbas longas, é quem conta a história do menino que tinha um cavalo, em sua visão, lindo e azul, embora para os pais, não passasse de um pangaré marrom. “Vicente e o Cavalinho Azul são amigos inseparáveis”, diz Lucio Zandonadi, aluno do mestrado da EM, maestro, compositor, cantor do Brasil-Ensemble e da montagem, responsável pelo resumo do libreto.

Em outubro, nos dias 9 (às 14h30 e 18h30),10 (às 14h30) e 12 (às 16h), o Salão Leopoldo Miguez da EM é o palco do espetáculo gratuito – parceria com a Secretaria Municipal de Educação do Rio de Janeiro –, e que já é sucesso, com 2 mil pequenos na fila de espera para as sessões de 14h30. “A procura é sempre muito maior do que temos capacidade de atender”, informa Maria José Chevitarese, avisando, no entanto, que ainda há vagas para os outros horários. É a escola que, final, vai à ópera.
Local

Salão Leopoldo Miguez da Escola de Música da UFRJ

Rua do Passeio n° 98, Centro, Rio

Datas e horário

Dia 09 de outubro de 2012 às 14:30 e 18:30 horas
Dia 10 de outubro de 2012 às 16:00 horas
Dia 12 de outubro de 2012 às 14:30 horas

FOI pensando nas crianças brasileiras, pouco acostumadas com o universo operístico, que criei o projeto “A escola vai à ópera”, hoje em sua terceira edição. Nosso objetivo é dar oportunidade as crianças de vivenciar um espetáculo operístico, em vernáculo, com uma estória apropriada para sua faixa etária, com texto e musica de alta qualidade, permitindo que o público infanto-juvenil tenha acesso a essa linguagem através de um espetáculo prazeroso e divertido.

Nesta edição trazemos a ópera O Cavalinho Azul com texto de Maria Clara Machado e música de Tim Rescala. É uma ópera de grande beleza, com texto bastante atual, sublinhado com sensibilidade e delicada pela música composta por Tim Rescala.

Este é um projeto audacioso que envolve mais de 100 pessoas em sua execução. Fica aqui nosso agradecimento ao apoio irrestrito da Escola de Música, a Escola de Belas Artes, a Escola de Comunicação, a Pró-Reitoria da Extensão da UFRJ, a parceria estabelecida com a Secretaria Municipal de Educação do Rio de Janeiro e a todos aqueles que, de forma direta ou indireta, trabalharam no projeto, tornando possível a concretização deste sonho.
Maria José Chevitarese

Postar um comentário