terça-feira, 16 de julho de 2013

Músicos da Orquestra Sinfônica de Campinas ameaçam greve


O protesto dos músicos da Orquestra Sinfônica de Campinas demonstra o descontentamento deles com o prefeito de Campinas Jonas Donizette (PSB). No domingo (14/07), eles se apresentam com a dupla Chitãozinho e Xororó, na Praça Arautos da Paz. Porém, prometem cruzar os braços a partir da próxima segunda-feira, dia 15/07.

Eles disseram que apostaram tudo no peessebista e, após vencido o prazo de pouco mais de seis meses, eles decidiram materializar a insatisfação, já que o prefeito não atendeu a nenhuma das reivindicações protocoladas em janeiro deste ano.
Segundo eles, grande parte dos músicos apoiou Jonas como candidato a prefeito nas eleições do ano passado. “Muitos de nós usamos durante a campanha eleitoral do ano passado broches do Jonas como candidato. Nossa esperança era a de que ele iria investir na Orquestra e em seus músicos. Mas o que estamos vendo são salários defasados e falta de infraestrutura”, disse um músico. “Historicamente os músicos só apoiaram candidatos em duas ocasiões. Na candidatura do Toninho e na do Jonas. Tocar sobre as condições mínimas já virou nossa realidade. Só lutamos quando as coisas estão bem feias”, disse um outro músico.
O porta-voz dos músicos, Carlos Coradini, disse que os músicos reivindicam melhoria salarial e boas condições de trabalho. Para reclamar ele lança mão de comparações. Segundo ele, um músico de fileira que atua em Minas Gerais, por exemplo, recebe por volta de R$ 9,6 mil de salário. Na Osesp, o valor é de R$ 14 mil – incluído ajuda de custo e seguro dos instrumentos. “Não há outro jeito a não ser protestar. Abrimos uma exceção para tocarmos no aniversário de Campinas, mas na segunda vamos cruzar os braços”, prometeu Coradini.
A assessoria de imprensa da Secretaria de Cultura informou que o secretário de Cultura, Ney Carrasco, está aberto para conversas. E que, na medida do possível, tem atendido às demandas dos músicos.

Postar um comentário