quarta-feira, 15 de setembro de 2010

Coral Jovem do Estado, Coro Juvenil da Osesp e Voz Ativa Madrigal se encontram no Masp dia 19 de setembro (domingo), às 16h

Diferentes regentes e um vasto repertório fazem parte do I Encontro de Coros, no Masp, dia 19 de setembro (domingo), às 16h. O evento é uma realização inédita do Coral Jovem do Estado, que convidou o Coro Juvenil da Osesp e o Voz Ativa Madrigal, dois dos principais grupos vocais brasileiros. A ideia é retomar a época áurea dos Encontros de Coros em São Paulo (década de 70 e início dos anos 80), quando existiam muitos eventos desse tipo.

A regente e diretora do Coral Jovem do Estado, Naomi Munakata, explica que o objetivo é proporcionar ao público e aos jovens cantores uma oportunidade para a troca de experiências e sonoridades. “Cada grupo escolheu repertórios diferentes. Essa é uma forma de um aprender com o outro”, explica. A regente conta ainda que o intuito é que o encontro tenha continuidade nos próximos anos. Na ocasião, o Coral Jovem terá regência de Nibaldo Araneda.

Para o evento, o repertório escolhido inclui peças da renascença, como Ave Maria e O Magnum Mysterium, de Tomas Luis de Victoria. Além disso, será possível apreciar In Monte Oliveti, do Padre José Mauricio Nunes Garcia, o mais importante compositor brasileiro do período colonial. No ano em que se comemora o bicentenário de Robert Schumann, o compositor alemão é homenageado pelo Coral Jovem do Estado com o seguinte ciclo de canções: Der Schmied, Op. 145, nº 1, Jägerlied, Op. 59, nº 3 e Zigeunerleben, Op. 29, nº 3. O grupo comemora ainda os 80 anos de Edmundo Villani Côrtes, com Frevo Fugato.

Já o Coro Juvenil da Osesp terá como regente Paulo Celso Moura. A pianista romena Dana Radu participa da apresentação. Dana iniciou seus estudos de música aos seis anos de idade. Formou-se como solista na Universidade Nacional de Música de Bucareste e hoje é pianista correpetidora da Academia de Música e dos coros Infantil e Juvenil da Orquestra Sinfônica do Estado de São Paulo. No programa, obras de Gabriel Fauré, Randall Thompson, R.Murray Schafer, Caetano Veloso, entre outros.

O Voz Ativa Madrigal, sob direção e a regência de Ricardo Barbosa, completa o repertório do evento com composições de Camargo Guarnieri, Celso Mojola, Robson Cavalcante e um trecho dedicado a obras do gênero norte-americano negro spiritual. A escolha vai de à primeira fase do projeto Musica Preta, em que objetivo o grupo pesquisa e registra músicas afro-descendentes dos cinco continentes.

Coral Jovem do Estado

O Coral Jovem do Estado faz parte da Tom Jobim – Escola de Música do Estado de São Paulo (EMESP), sob gestão da Santa Marcelina Cultura, organização social ligada à Secretaria de Estado da Cultura. Tem patrocínio da CTEEP – Companhia de Transmissão de Energia Elétrica Paulista e apoio institucional do Ministério da Cultura, por meio da Lei Rouanet. Formado por 48 bolsistas, o Coral Jovem do Estado foi criado em 1979, durante o 10° Festival de Inverno de Campos do Jordão. Ao longo de sua história, esteve sob a regência de Bruno Wyzuj, Jonas Christensen, Diogo Pacheco, Victor Gabriel, Marcos Leite, Juan Serrano, Martha Herr e José Ferraz de Toledo, sempre ao lado das mais importantes orquestras sinfônicas e conjuntos instrumentais do Estado. Desde 2005, tem como diretora artística e regente titular Naomi Munakata e como regente assistente Nibaldo Araneda. Constituído por jovens estudantes de música, especialmente na área de canto erudito, tem como finalidade principal contribuir na educação e desenvolvimento de seus integrantes, aprimorando seu nível técnico e artístico para que se tornem os futuros profissionais da área.

Naomi Munakata regente e diretora

Coordenadora do Coral Jovem do Estado, diretora e professora da Escola Municipal de Música de São Paulo, diretora e regente dos coros da Osesp e professora da Faam, Naomi estudou violino e harpa e foi instrumentista da Orquestra Jovem Municipal de São Paulo. Vencedora do prêmio da Associação Paulista de Críticos de Artes (APCA), estudou com o maestro Hans Joachim Koellreutter e formou-se em composição e regência com Roberto Schnorrenberg. Em 1986, aperfeiçoou-se na Universidade de Tóquio e, em 1991, laureada com bolsa da Fundação Vitae, estudou na Suécia com o maestro Eric Ericson. Foi regente assistente do Coral Paulistano, presidente da Associação Paulista de Regentes Corais e regente convidada da Camerata Antiqua de Curitiba.

Nibaldo Araneda regente

Pela UNESP, é Bacharel em Música com Habilitação em Canto. Aperfeiçoou sua voz com os cantores líricos Francisco Campos Neto (SP), Caio Ferraz (SP), Luis Tenaglia (SP) e Sofia Mukhametova (Rússia). Como aluno da Tom Jobim – Escola de Música de São Paulo (EMESP), antiga Universidade Livre de Música e da Escola Municipal de Música estudou Teoria Musical e Regência Coral. Aprimorou-se nos festivais de Londrina, Curitiba e Campos do Jordão e em diversos Cursos de Regência com renomados maestros como Alberto Cunha (SP), Victor Gabriel (SP), Samuel Kerr (SP), Naomi Munakata (SP) e Martin Schimidt (Alemanha).Integrou a equipe de Orientadores de Técnica Vocal do Coral da USP de 1990 a 1992 e, como Regente, ficou à frente do Coral do Metrô de São Paulo de 1993 a 2001. Regeu, ainda, o grupo Comocanto, o Coral do Clube Paulistano e o Coral da Sociedade Harmonia de Tênis. É Cantor e Monitor do Coral da Orquestra Sinfônica do Estado de São Paulo desde a sua fundação em 1994.

Tom Jobim – Escola de Música do Estado de São Paulo (EMESP)

Com mais de 20 anos de atuação no ensino musical, a Tom Jobim – Escola de Música do Estado de São Paulo (EMESP) oferece formação tanto erudita como popular, estruturada com foco no ensino do instrumento e nas práticas coletivas (música de câmara e prática de conjunto), complementados por disciplinas de apoio. A Tom Jobim EMESP proporciona desde a pré-formação até a formação avançada e a preparação para profissionalização. Além da formação continuada e progressiva, a Escola também oferece cursos livres, palestras, master classes e concertos. A Tom Jobim EMESP é responsável pela gestão dos Grupos Jovens – Orquestra Jovem do Estado, Banda Sinfônica Jovem do Estado, Coral Jovem do Estado e Orquestra Jovem Tom Jobim, que oferecem bolsas para alunos em fase de pré-profissionalização. Em 2010, a Escola estreou seu grupo residente de professores, a Camerata Aberta, dedicada ao repertório contemporâneo e ao ensino de técnicas instrumentais avançadas. A Tom Jobim EMESP é gerida pela Santa Marcelina Cultura, Organização Social ligada à Secretaria de Estado da Cultura.

Coro Juvenil da Osesp

Depois de criar os coros Sinfônico, de Câmara e Infantil, a Orquestra Sinfônica do Estado de São Paulo formou, em 2004, o Coro Juvenil da Osesp. A concepção de um coro para adolescentes veio de encontro à preocupação da Osesp com a educação musical e com a formação de novas platéias e de futuros cantores profissionais.Os testes de seleção foram realizados em março e 50 jovens de 14 a 17 anos foram escolhidos para preparar um repertório mais complexo e eclético que o abordado pelo Coro Infantil. Além da prática coral, os cantores têm aulas de musicalização, solfejo e percepção musical, com atenção especial aos meninos em mudança de voz - comumente afastados dos coros nesta fase, o que, muitas vezes, comprometia a formação musical destes jovens.

Voz Ativa Madrigal

O Voz Ativa é um grupo independente e estreou em 1997. As temporadas dos shows “Por um Triz” (1999), “Acepipes Musicais - na Boca do Brasil” (2002) e “É Só Sucesso” (2004) marcam o compromisso com nossa música popular. Parcerias ampliam a atuação do grupo, como a temporada paulista da dupla Kleiton e Kledir na casa de espetáculos Tom Brasil, em São Paulo.Em junho 2005, o grupo realizou turnê por seis cidades da Alemanha, com repertório essencialmente brasileiro, em concertos eruditos de música sacra e shows de MPB. Entre os anfitriões, destacam-se o Museu do Instrumento de Munique e as Universidades de Tübingen, Münster e Augsburg. Também, em março de 2005, o Voz Ativa promoveu a vinda do grupo Camerata Volcalis, Coro de Câmera da Universidade de Tübingen, Alemanha, uma série no Brasil.O Voz Ativa desenvolve e mantém o Promusa, Projeto de Música Sacra desde 2000. Em 2010 lança o CD “Spiritual” que marca a primeira fase do projeto “Musica Preta” que tem como objetivo pesquisar e registrar músicas afro-descendentes dos cinco continentes. Tem direção e regência de Ricardo Barbosa.

I ENCONTRO DE COROS - MASP

Coral Jovem do Estado
Nibaldo Araneda regência


Programa


Ave Maria - Tomas Luis de Victoria
O Magnum Mysterium - Tomas Luis de Victoria
In Monte Oliveti - Padre José Mauricio Nunes Garcia –
Pai Nosso - Osvaldo Lacerda
Salmo 150 -Ernani Aguiar
Der Schmied, Op. 145, nº 16 - Robert Schumann
Jägerlied, Op. 59, nº 3 - Robert Schumann
Zigeunerleben, Op. 29, nº 3 - Robert Schumann
Frevo Fugato - Edmundo Villani Côrtes

Coro Juvenil da Osesp
Paulo Celso Moura regente

Dana Radu pianista

Programa

Sanctus, do Requiem op.48 - Gabriel Fauré
Glory to God in the highest - Randall Thompson
De Profundis - Vic Nees
Gloria, da Missa Guadalupe - Joel Martinson
Ride the Chariot - Trad.Spiritual
Bullerengue - José Antonio Rincón / Jorge Artel
Alguém Cantando - Caetano Veloso, arr. Marcos Leite
Gamelan - R.Murray Schafer

Voz Ativa Madrigal
Ricardo Barbosa regente


Programa

Benedicamus Domino - Robson Cavalcante
Ave Maria - Camargo Guarnieri
Oração pela Paz - Henrique de Curitiba - S. Arruda, L. Pansa, A. Chavez, F. Carvalho, solistas
Moteto - Celso Mojola - Regiane Martinez e Luciana Pansa, solistas
Amazing Grace - Negro Spiritual - Simone Arruda, solista
Roll Jordan Roll - Negro Spiritual
Soon I will be done - Negro Spiritual - Edison Matos, solista
Down by the riverside - Negro Spiritual - F. Carvalho, L. Pansa e R. Martinez, solistas

Serviço

São Paulo
Data: 19/09, domingo
Horário: 16h
Ingressos: R$ 4,00 e R$ 2,00
Local: Grande Auditório do Masp
Capacidade: 374 lugares
av. Paulista, 1578
Indicação etária: LIVRE


Agito SP. A sua revista digital de entretenimento em São Paulo
Postar um comentário