quinta-feira, 16 de maio de 2013

Centro de Música Brasileira apresenta a cravista Helena Jank



Dia 18 de maio, sábado, às 19h30, o Centro de Música Brasileira apresenta a cravista Helena Jank e a cantora Adriana Kayama na Sala Cultura Inglesa do Centro Brasileiro Britânico, em Pinheiros. No repertório, obras de Almeida Prado, Chiquinha Gonzaga, Edmundo Villani Côrtes, Gabriel Trindade, Inácio da Silva, Jayme Ovalle, João Francisco Leal, M.A. de Souza Queiroz, Marcos Portugal, Pe. José Maurício Nunes Garcia e Osvaldo Lacerda. Apoio Cultural: Cultura Inglesa de São Paulo. Grátis!

Helena Jank fez o curso de graduação em cravo sob orientação de Li Stadelmann e pós-graduação com Karl Richter. Integrou a Orquestra Bach de Munique, dirigida por Karl Richter.
Recebendo o título de "Meister" em cravo, iniciou uma fase intensa de apresentações e concertos que a levaram a várias cidades da Europa.

O Centro de Música Brasileira - CMB visa promover e divulgar a Música Brasileira erudita de todas as épocas e estilos. Foi fundado em São Paulo em 18 de dezembro de 1984 e iniciou suas atividades em 1985. O CMB realizou 288 apresentações em São Paulo, e um total de 47 em cidades do interior dos Estados de São Paulo e Minas Gerais. Promoveu nacionalmente vários concursos de interpretação: 7 de Canção de Câmara Brasileira; 5 de Músicas Brasileiras para Piano e 2 de Músicas Brasileiras para Flauta. Atualmente é presidido pela pianista Eudóxia de Barros.

Programa:

M.A. de  Souza Queiroz - Do peito soltando a voz
João Francisco Leal – Dize amor
Almeida Prado  -  A saudade é matadoura
Marcos Portugal - Vejo Marilia
Edmundo Villani-Cortes  - Modinha da moça de antes
Pe. José Mauricio Nunes Garcia – 2 Lições de Pianoforte (cravo solo)
Jayme Ovalle  -  Azulão 
Almeida Prado – Noite (texto de Cecília  Meireles)
Chiquinha Gonzaga – Lua branca
Inácio da Silva   -  Busco a campina serena
Gabriel Trindade – Erva mimosa do campo
Osvaldo Lacerda – “Sonata” para cravo solo
                  Allegro giusto – Andantino com moto – Allegro vivo
Marcos Portugal  -  Arde o velho barril
Anônimo  -  Astuciosos os homens são
                            - Ta-te-ti-to-tu
Helena Jank iniciou seus estudos em São Paulo. Frequentou, entre outros, os cursos de José Kliass e Lydia Alimonda, aperfeiçoando-se em piano com Hans Graf. Fez o curso de graduação em cravo, sob orientação de Li Stadelmann e após ser aprovada com louvor  nos exames finais, foi convidada por Karl Richter a continuar os estudos de pós-graduação em sua "Meisterklasse", e ao mesmo tempo integrar a famosa Orquestra Bach de Munique, por ele dirigida.
Recebendo o título de "Meister" em cravo, iniciou uma fase intensa de apresentações e concertos que a levaram a várias cidades da Europa, como solista e como integrante das mais conhecidas orquestras de Câmara entre elas a “Münchener Bach-Orchester”, dirigida por Karl Richter.
Retornando ao Brasil, coordenou o Grupo Musicamara de São Paulo, com Jean-Noël Saaghard, Alain Lacour, Lola Benda Ariane Pfister, com o qual viajou pelo Brasil divulgando a música barroca.  Foi integrante também da Orquestra de Câmara de Blumenau, sob a regência de Norton Morozovicz.
Defendeu tese de doutorado em música pela UNICAMP em 1988.  
Foi coordenadora dos cursos de Pós-Graduação, entre 1995 e 1999 e Diretora do Instituto de Artes entre 1999 e 2003.
Atualmente, dedica especial atenção ao repertório de música brasileira - tanto do Brasil colonial, quanto da produção contemporânea – além do estudo das obras tradicionais para cravo solo e de música de câmara.   
Sua pesquisa dirige-se às questões da retórica musical do período barroco, concentrando-se principalmente na obra de J.S.Bach e em repertório do Barroco inicial, quando os princípios da retórica musical se estabeleceram. Em seu projeto de doutorado apresentou uma análise interpretativa das Variações “Goldberg” de J.S.Bach, obra que se tornou determinante para sua concepção musical no decorrer de toda sua carreira.
Além do repertório solo, participa atualmente de dois grupos instrumentais: Tocandyra – cravo e violão e La Follia – flauta, violino, violoncelo e cravo. Com Adriana Kayama desenvolve o projeto Modinha, juntamente com pesquisadores da Universidade Estadual de Campinas e da Universidade Livre de Lisboa.

O Centro de Música Brasileira - CMB é uma sociedade civil sem fins lucrativos, fundada em São Paulo, em 18 de Dezembro de 1984, iniciando suas atividades em 29 de Abril de 1985, no Teatro de Cultura Artística (Sala Rubens Sverner), com um recital de Eudóxia de Barros.
Visa a defender e promover maior divulgação da música brasileira erudita de todas as épocas e estilos. Grande parte dos intérpretes que se apresentam são jovens, no início de suas carreiras de instrumentistas, cantores ou regentes.
Osvaldo Lacerda foi o Presidente até 2011 e atualmente é a pianista Eudóxia de Barros.
O CMB realizou 288 apresentações em São Paulo, e um total de 47 em cidades do interior dos Estados de São Paulo e Minas Gerais.
Por duas vezes recebeu Prêmio da Associação Paulista de Críticos de Arte - APCA, pelo trabalho realizado em prol de nossa música.
Não conta com subsídios de entidades nem particulares, nem governamentais, com exceção de esporádicos patrocínios dos prêmios dos concursos ou apoios culturais: Banco Francês e Brasileiro, Metal Leve, PADO S/A., Funarte – MINC, Rotary Club de São Paulo, Orquestra da RTC, SESC, Academia Brasileira de Música, Cultura Inglesa, Bovespa, Grupo Arão Sahm, Casa Manon, Pianos Fritz Dobbert, Orquestra Sinfônica De Campinas, Ballet Stagium, Unibero, Sabó Ind. e com Ltda., e mais recentemente, um grande apoio da Secretaria de Estado da Cultura de São Paulo.
Financeiramente, sobrevive graças às anuidades pagas por seu quadro social, e que foram estipuladas em R$ 100,00 (individual) e R$ 150,00 (casal) a partir deste ano, podendo ser enviadas para a sede da entidade: Rua Santarém, 269 Bairro Perdizes, CEP 01251-040  São Paulo - SP .
Desde 1995, recebe um valioso apoio cultural da “Cultura Inglesa de São Paulo”, podendo realizar seus recitais mensais da temporada, na Sala Cultura Inglesa do Centro Brasileiro Britânico, em Pinheiros.
Promoveu vários concursos de Interpretação, de âmbito nacional: 7 da Canção de Câmara Brasileira; 5 de Músicas Brasileiras para Piano; 2 de Músicas Brasileiras para Flauta.
Promoveu um Concurso de Monografia “O Dobrado” (marcha cívica e militar brasileira), e dois de Composição: o primeiro, em parceria com  a Biblioteca Municipal “Mário de Andrade” ( São Paulo) e mais recentemente, em 2008, um Concurso de Tocata para Piano , vencido em 1º lugar por Nelson Lin, que teve como prêmio, alem de uma vultosa quantia oferecida pela Secretaria de Estado da Cultura de São Paulo, ainda a impressão de sua Tocata, pela Academia Brasileira de Música. O 2º prêmio foi para Edson Sant´Anna. Foram marcantes os dois recentes Concursos promovidos pelo Centro de Música Brasileira, em Dezembro de 2009, curiosamente realizados na Casa Mário de Andrade: o II Concurso de Interpretação de Músicas Brasileiras para Flauta e o V Concurso de Interpretação de Músicas Brasileiras para Piano, que tiveram grandes prêmios oferecidos pela Secretaria de Cultura do Estado de São Paulo.
Site: http://www.centrodemusicabrasileira.blogspot.com.br/
Sua atual Diretoria é assim constituída:
Presidente: Eudóxia de Barros
Vice-Presidente:- Fernando Cupertino
Primeiro Secretário:- Helena Marcondes Machado
Segundo Secretário:- Fernanda Iervolino Rossini
Primeiro Tesoureiro:- Sergio Rossini
Segundo Tesoureiro:- Tomasino Castelli

Serviço:
Dia 18 de maio, sábado, às 19h30
Recital do Centro de Música Brasileira
Cravista Helena Jank
Cantora Adriana Kayama
Local : Sala Cultura Inglesa do Centro Brasileiro Britânico
Auditório – 160 lugares
Rua Ferreira de Araújo, 741
Pinheiros - São Paulo
Tel: (11) 3039 0500

Postar um comentário