sexta-feira, 14 de dezembro de 2012

Estudo aponta São Paulo como um dos 12 principais centros de arte no mundo



São Paulo é a única cidade na América Latina a figurar entre os 12 maiores centros culturais do mundo, segundo dados do World Cities Culture Report. As outras cidades são Londres, Paris, Berlim, Nova York, Tóquio, Istambul, Johannesburgo, Xangai, Sydney, Cingapura e Mumbai. Encomendado pela prefeitura de Londres e divulgado em agosto, o estudo mede 60 indicativos nas áreas de literatura, cinema, artes visuais, artes do espetáculo e em setores novos, como o de games.

Para a economista Lidia Goldenstein, especializada em economia criativa, cultura é "a política industrial deste século. O setor mais importante na geração de emprego e renda na sociedade moderna". Para ela, o Brasil ainda está muito atrasado na compreensão da economia criativa. "Aqui, isso ainda é visto como algo circunscrito à cultura ou às políticas de inclusão social. Muito diferente dos países que estão levando a sério, entre eles a Inglaterra e a China, que colocou o tema no seu plano quinquenal."

São Paulo tem números surpreendentes a exibir. Tem 869 livrarias, número  superior ao de Londres (802), ou Nova York (750). Os cinemas paulistanos recebem cerca de 50 milhões de espectadores, mais do que Tóquio, Londres, Berlim e Cingapura. Em termos de infraestrutura, os números são tímidos. Só existem 282 telas de cinema em São Paulo, menos do que as cidades europeias e também Johannesburgo (368) e Xangai (670). Em número de salas de teatro, São Paulo apresenta 116 salas, atrás de cidades como Paris, com 353.

Já em relação às bibliotecas, São Paulo tem um dos piores índices, com apenas 116 unidades, contra 383 de Londres, 830 de Paris e 477 de Xangai. Esses números se refletem também na quantidade de livros emprestados por ano. Em Nova York, foram 68 milhões de livros retirados das bibliotecas em 2010, em Paris, 47 milhões. Em São Paulo, apenas  840 mil livros. (veja todos os dados no site da pesquisa, aqui: http://www.worldcitiesculturereport.com/)
Postar um comentário