quarta-feira, 4 de julho de 2012

Ópera na UFRJ apresenta Così fan tutte, de Mozart



A ópera Così fan tutte (Assim fazem todas), do compositor Wolfgang Amadeus Mozart, uma das 12 mais encenadas no mundo, foi a escolhida para a temporada 2012 do projeto Ópera na UFRJ. A estreia será dia 05 de julho, às 19h, no Salão Leopoldo Miguez da Escola de Música UFRJ, e a entrada é franca. Com direção musical e regência de André Cardoso e concepção e coordenação cênica de André Heller-Lopes, o espetáculo, em duas versões - clássica e contemporânea -, contará com a participação de 12 solistas, coro e orquestra sinfônica da UFRJ.

Cantada em italiano e com legendas em português, a ópera seguirá em temporada itinerante, com apresentações nos Teatros Municipais de Niterói, Petrópolis e Campos dos Goytacazes, facilitando amplo acesso da população fluminense a esse gênero musical que tem despertado cada vez mais interesse.
 “É o melhor texto da trilogia de Mozart e Da Ponte (juntamente com As Bodas de Fígaro e Don Giovanni), o mais à frente do seu tempo. Picante, amoral, olha de maneira muito sórdida para as relações humanas, muito dentro da linha do século XVIII”, diz André Heller-Lopes. “Temos costume de olhar o passado com os olhos do XIX, uma época muito mais puritana, vitoriana, enquanto que o XVIII tem outro tipo de linguagem. Outra coisa que me chama atenção é que essa é uma ópera de conjunto, todos os seis personagens são igualmente importantes”, afirma.

A obra

É na ópera que mais se revela toda a dimensão do gênio de Mozart, que compôs vinte e duas obras, entre elas A Flauta Mágica, As Bodas de Fígaro, Don Giovanni e Così fan tutte, as três últimas em colaboração com o libretista Lorenzo da Ponte.
Così fan tutte é uma das melhores óperas bufas e traz a magistral criação de Mozart na tradução musical das contradições amorosas da alma humana. É uma história sobre a infidelidade feminina, na qual dois jovens oficiais, Ferrando e Guglielmo, apostam com o seu velho amigo Don Alfonso que as suas noivas - as irmãs Fiordiligi e Dorabella - nunca os trairiam. Assim combinam uma encenação. Com a ajuda da criada Despina, são acolhidos na casa das duas irmãs disfarçados de albaneses. Cada um acaba por conquistar a noiva do outro, e quando estão prestes a concretizar um falso casamento, Don Alfonso confirma que assim fazem todas, a trama é desmascarada e os pares originais se reconciliam.
A obra sempre provocou desconforto. Para os olhos do séc. XIX, pareciam aceitáveis homens libertinos como Don Giovanni, mas não as mulheres licenciosas que a ópera põe em cena. O enredo foi durante muito tempo considerado decadente, imoral e indigno de Mozart. Entretanto, a partir de meados do século passado, a obra vem ganhando novas leituras, sendo objeto de sucessivas montagens e atraindo cada vez mais a atenção do público. Um interesse renovado que talvez tenha muito a dizer sobre a nossa época, o que a montagem em duas versões sugere.

Ópera na UFRJ

É um dos mais bem sucedidos projetos de ensino, pesquisa e extensão desenvolvidos na Universidade Federal do Rio de Janeiro. Criado em 1994, congrega estudantes, docentes e técnicos da Escola de Música e da Orquestra Sinfônica da UFRJ, da Escola de Belas Artes (cenários, figurinos e caracterização) e da Escola de Comunicação (direção teatral e iluminação cênica).

SERVIÇO

RÉCITAS

Dia 05 de julho de 2012, 19h, Salão Leopoldo Miguez da Escola de Música, versão clássica
Dia 06 de julho de 2012, 19h, Salão Leopoldo Miguez da Escola de Música, versão contemporânea
Dia 07 de julho de 2012, 16h, Salão Leopoldo Miguez da Escola de Música, versão clássica
Dia 08 de julho de 2012, 16h, Salão Leopoldo Miguez da Escola de Música, versão contemporânea
Dia 10 de julho de 2012, 12h, Auditório Horta Barbosa, Centro de Tecnologia da UFRJ, versão contemporânea
Dia 12 de julho de 2012, 20h, Teatro Municipal de Niterói, versão clássica
Dia 14 de julho de 2012, 19h, Theatro D. Pedro, Petrópolis, versão clássica
Dia 19 de julho de 2012, 19h, Teatro Municipal Trianon, Campos dos Goytacazes, versão contemporânea

ENDEREÇOS

SALÃO LEOPOLDO MIGUEZ
Rua do Passeio, 98, Lapa, Rio de Janeiro, RJ
Tel.: (21) 2262-8742 / www.musica.ufrj.br

AUDITÓRIO HORTA BARBOSA
Av. Athos da Silveira Ramos, 149, Centro de Tecnologia, Bloco A,
Cidade Universitária, Ilha do Fundão, RJ
Tel.: (21) 2562-7008 / www.ufrj.br

TEATRO MUNICIPAL DE NITERÓI
Rua XV de Novembro, 35, Centro, Niterói, RJ
Tel.: (21) 2620-1624 / www.tmnit.com.br

THEATRO D. PEDRO
Praça Expedicionários, s/nº,
Centro, Petrópolis, RJ
Tel.: (24) 2235-3833
http://teatromunicipal.petropolis.rj.gov.br

TEATRO MUNICIPAL TRIANON
Rua Marechal Floriano, 211, Centro,
Campos dos Goytacazes, RJ
Tel.: (22) 2733-8917 / www.teatrotrianon.com.br

CRÉDITOS
Projeto Ópera na UFRJ apresenta:

COSÌ FAN TUTTE, de W. A. Mozart, e libreto de Lorenzo da Ponte
André Cardoso, Direção Musical e Regência
André Heller-Lopes, Concepção e Coordenação Cênica
Daniel Salgado da Luz, Direção Cênica (Versão Clássica)
Lívia Ataíde e Luíza Rangel, Direção Cênica (Versão Contemporânea)

Solistas (Versão Clássica):
Manuela dos Santos – Fiordiligi; LARA CAVALCANTI – Dorabella;
Daruã Góes – Despina; WLADIMIR CABANAS – Ferrando;
Patrick de Oliveira – Guglielmo; MURILO NEVES – Don Alfonso.

Solistas (Versão Contemporânea):
Michele Menezes – Fiordiligi; SOPHIA DE OTERO – Dorabella;
Dafne Boms – Despina; DANIEL MARINHO – Ferrando;
Fernando Lourenço – Guglielmo; FLAVIO LAURIA – Don Alfonso.

CORO e ORQUESTRA SINFÔNICA DA UFRJ
Postar um comentário