quinta-feira, 12 de julho de 2012

Voz Ativa 15 anos - Luciana “Pecata” Nunes

Luciana Nunes


Fazíamos parte do Coral Arco Iris da Prefeitura do Município de Osasco. A maestrina Ligia Amadio era titular e o maestro Ricardo Barbosa seu assistente.
O grupo que contava com aproximadamente 50 vozes, embora tratar-se de um conjunto de cantores amadores, o repertório era ousado e desafiante, características que, em nossa opinião,  marcam a vida da competente maestrina.
Houve um tempo em que fazia parte do repertório anual do grupo o Agnus Dei do compositor  krzysztof Penderecky. Como todas as peças do compositor polonês, a obra de caráter eminentemente contemporâneo apresenta muitas dissonâncias, característica que faz com que esta parte do Réquiem seja de difícil afinação.
Há neste Agnus Dei uma passagem em que as vozes vão formando acorde cada vez mais tensos e culmina em um cluster de 16 vozes em fortíssimo cantando “Pecata”.
Como em todo o grupo de cantores, existem aqueles que se afinam mais com uns do que com outros, desta forma cria-se, principalmente dentro de grupo grandes como era o caso do coral em questão, pequenos outros grupos que, não raro, acabam por criar verdadeiras amizades. Fazia parte de um desses pequenos grupos a contralto Luciana Nunes.
Luciana Nunes é daquelas pessoas que raramente estão baixo astral, filha de um autêntico seresteiro, ganhou certas característica do pai e as expressava autenticamente. Desta maneira, as emoções afloravam facilmente e seu expressivo rosto não as escondia, era comum vê-la derramar lágrimas quando ouvia certas obras, da mesma maneira via-se em seu semblante um brilho peculiar quando interpretava certas músicas. Sua maior paixão era, e é, a MPB, tanto que hoje, muito tempo depois de seu convívio com o grupo, apresenta-se, sempre que pode, em bares onde a MBP tem espaço. Esta boemia característica carrega desde tenra idade.
Como em todo grupo, este também possuía a “Turma do Fundão, no entanto, diferentemente das turmas de fundão das salas de aula, esta turma era formada por pessoas que se identificavam muito com a arte de cantar e se destacavam por sua musicalidade. Era a turma do fundão porque seus integrantes, ou a maioria deles, adorava cerveja, bate papo descompromissado, alegria e bom astral, o que fazia com que todo final de ensaio, e por vezes nos intervalos entre eles, se encontrassem em algum barzinho.
Num desses encontros, após a ingestão de algumas doses, Luciana demonstrava sua admiração pela obra de Penderecky e apontava exatamente o trecho mais tenso da peça com a que ela mais gostava principalmente quando o grupo cantava em um fortíssimo “PECATA”,  e dentro de sua expressividade cantava, ou antes, gritava “PEEECCCAAATTTAAA” dentro do bar, o que naturalmente chamava a atenção de todos os frequentadores e provocava muita risada na turma. Vale a pena frisar que tal demonstração de apego pelo trecho da obra foi por diversas vezes manifestado pela cantora, dado seu “estado etílico”. Não por acaso, como demonstrado, nunca ninguém mais chamou-a de Luciana, desde então passou a ser a Pecata, apelido que todos aderiram, tanto que nos anos subsequentes, haviam coristas que não sabiam seu nome, só a conheciam como Pecata.
Pecata como todos percebemos por certas características de sua personalidade já apresentadas, é uma pessoa que se entrega totalmente aos seus sentimentos. Certo ano foi passar férias na belíssima capital de Santa Catarina, lá conheceu uma pessoa com quem teve um romance de férias, no entanto, continuaram a se corresponder após este período e o que era para ser um pequeno romance passou a namoro sério. Nos finais de semana em que o Voz Ativa não tinha compromissos, ela se deslocava para Florianópolis ou vice versa. Após certo período sua paixão pelo namorado não permitia mais a distância, fato que a fez organizar sua vida para ir morar na ilha o que, certamente com tristeza, fez com que ela se desligasse do grupo.
Não demorou muito para todo o grupo se deslocar para lá a fim de cantar em seu casamento, momento bastante emocionante e de alegria singular para todos.
A nós só resta agradecer por sua dedicação ao nosso trabalho, pela amizade que cultivamos até hoje e pelos sempre bons momentos que esta amizade proporcionou.
Nosso carinho para a “Pecata”
Postar um comentário