segunda-feira, 19 de agosto de 2013

Festival MIMO, o maior de música instrumental gratuito no Brasil


 
Herbie Hancock, Madredeus, Nelson Freire, Richard Galliano, Ibrahim Maalouf, João Bosco, Guillaume Perret e Gilberto Gil são alguns dos nomes confirmados

Belas paisagens e a arquitetura histórica de cidades-patrimônio serão palco para artistas consagrados na 10ª edição do MIMO, o maior festival de música instrumental gratuito do país. Ao completar dez anos, transcende as datas de realização, levando ao público uma série de ações durante o ano, através do Movimento MIMO, firmando-se como polo de música plural e de valorização do patrimônio histórico brasileiro. Outra novidade será a estreia do festival na charmosa cidade de Paraty, entre 23 e 25 de agosto. Depois, segue para Ouro Preto (29 de agosto a 1 de setembro) e Olinda (2 a 8 de setembro).

Apostando na diversidade de ritmos e sons do mundo, o MIMO apresenta concertos em praças públicas, igrejas, teatros e capelas seculares. A tradicional Etapa Educativa, formada por  workshops, máster classes e oficinas ministradas pelos artistas convidados, ganha um Fórum de Ideias. Outro destaque é o Festival MIMO de Cinema, que este ano apresenta a versão inédita do documentário Olho Nu, sobre Ney Matogrosso, entre os 29 filmes selecionados para três diferentes mostras.


O Movimento MIMO traz ainda eventos paralelos, como a exposição fotográfica MIMO 10 Anos, com imagens de várias edições do festival e a Chuva de Poesia, mágica iniciativa de fazer chover poesia no céu das cidades ao som dos sinos das igrejas. O MIMO é apresentado pelo Ministério da Cultura, através da Lei de Incentivo à Cultura e pelo Bradesco, com apoio do BNDES. Em Olinda, como acontece desde 2009, o BNDES também apresenta o festival.

A abertura do MIMO, no dia 23 de agosto, promete ser histórica. O pianista norte-americano Herbie Hancock, fenômeno do jazz e vencedor de 14 Grammy, se apresenta ao ar livre, na Praça da Matriz, em Paraty. O grupo português Madredeus também chega ao festival pela primeira vez, para apresentar o álbum Essência, comemorativo dos 25 anos de carreira. O pianista Nelson Freire fará o concerto de abertura de Olinda, no dia 5 de setembro, dez anos depois de lotar a Igreja da Sé e deixar uma multidão do lado de fora. No feriado de 7 de setembro, a festa  na Praça do Carmo, ficará sob o comando de dois grandes nomes da MPB, Jards Macalé, que se apresenta com a nova banda Let´s Play That, e Gilberto Gil, acompanhado da jovem Orquestra de Sopros da Pro Arte.
 


As atrações do MIMO incluem ainda:
·        O pianista italiano Stefano Bollani, a maior estrela do jazz europeu da atualidade, dividirá o palco com Hamilton de Holanda, considerado o "Jimmy Hendrix do bandolim";


·     O aclamado acordeonista francês Richard Galliano sob ao palco do festival para uma apresentação inédita ao lado do brasileiríssimo Quinteto da Paraíba. No repertório, Vivaldi e Piazzolla;
·         A nova música árabe marca forte presença no MIMO 2013. O jordaniano Tareq Al Nasser, considerado um dos pioneiros na revitalização da música do Oriente Médio, sobe ao palco com a sua orquestra Rum, mesclando sons de diversas origens;
·         O trompetista franco-libanês Ibrahim Maalouf apresenta a sua explosiva fusão de música árabe tradicional com o rock, eletro, pop, soul e world music;


·         Grande novidade dos principais festivais europeus, o saxofonista francês Guillaume Perret apresenta a sua hipnótica mistura de rock progressivo, funk, jazz e eletro, que vem causando sensação por onde passa;

·         Tido pela crítica internacional como um gênio, o alemão Stephan Micus é figura rara no panorama musical. Domina mais de 100 instrumentos de diversos países, muitos deles ancestrais. Vem pela primeira vez no Brasil a convite do MIMO;
·         A professora e compositora marajoara Dona Onete trará toda a sua vitalidade e alegria aos 75 anos, apresentando seu carimbó chamegado;
·         O compositor e pianista cubano Omar Sosa apresentará o elogiado tributo ao antológico Kind of blue, de Miles Davis, sob o título Eggūn: The Afri-Lectric Experience;
·         Os bandolinistas do jovem quarteto belga MANdolinMAN vem com exclusividade ao Brasil, a convite do MIMO, dar a sua versão a um repertório de Bossa Nova e peças do folclore da Região de Flandres;


·         BNegão e Seletores de Frequência mostram sucessos de seus dois álbuns e lançam em primeira mão parte do novo projeto, um disco dedicado à música instrumental;
·         João Bosco apresentará o premiado disco 40 anos depois, que acaba de mostrar em turnê pela Europa;
·         O maestro Isaac Karabtchevsky homenageia Verdi, Wagner e Stravinsky num concerto ao ar livre, ao lado da jovem Orquestra Sinfônica de Barra Mansa, encerrando a programação musical do MIMO 2013.
 


"É uma grande alegria comemorar os dez anos deste festival nascido em Pernambuco, numa cidade histórica como Olinda, e dedicado à música instrumental. Me sinto caminhando na contramão da realidade cultural brasileira, expandindo esta bem-sucedida experiência até o Sudeste do Brasil e conquistando dia a dia mais espaço para a música em nosso País. Divido essa comemoração com o público que tem nos acolhido e prestigiado em todas as cidades", diz a idealizadora e diretora do MIMO, a empresária Lu Araújo.

SOBRE O MIMO
Criado em 2004, em Olinda, o MIMO oferece ao público de cidades-patrimônio, gratuitamente, concertos concorridos, tendo como cenário o interior de espaços seculares e praças públicas. Simultaneamente  aos concertos, promove uma vigorosa Etapa Educativa e um dos mais respeitados festivais de cinema, que tem como protagonista a temática musical.

A partir de 2013, o MIMO amplia suas atividades em várias frentes e o ano inteiro, estabelecendo-se como um movimento. A primeira novidade foi o lançamento de um portal (www.mimo.art.br), com informações sobre as atividades programadas, o calendário cultural das cidades onde se realiza, e diversos artigos ligados à música, ao cinema, à arquitetura e ao patrimônio histórico, além do lançamento da rádio MIMO. Novas atividades promovidas no Rio de Janeiro, São Paulo e Belo Horizonte incluem o Fórum de Ideias, a exposição fotográfica MIMO 10 Anos, entre outras. A equipe também está investindo em novas plataformas de comunicação, com conteúdo exclusivo, como um aplicativo dedicado as cidades de Paraty, Ouro Preto e Olinda.

O surgimento do Movimento MIMO vem acompanhado da chegada de novos sócios. Os empresários de mídia, cultura e entretenimento Luiz Calainho e de conteúdo e marketing Fernanda Cortez, que  somam-se à produtora cultural Lu Araújo, idealizadora e diretora do festival, que já levou mais de meio milhão de espectadores aos 200 concertos realizados e 90 filmes exibidos desde 2004.

ETAPA EDUCATIVA
Em 2013, o MIMO oferece 49 atividades com o objetivo de investir na educação musical de jovens e no aprimoramento técnico de profissionais. A Etapa Educativa já beneficiou mais de 15 mil pessoas, desde que foi criada. Estudantes e profissionais de música têm a oportunidade de interagir gratuitamente com grandes artistas brasileiros e internacionais, aperfeiçoando a técnica e interpretação. Os cursos, workshops e máster classes aproximam os alunos da realidade artística e garantem um aprendizado único. Esse ano, artistas como Tareq Al Nasser, Stephan Micus, MANdolinMAN, Madredeus, Ibrahim Maalouf, Stefano Bollani e Hamilton de Holanda participam da Etapa Educativa nas três cidades.

O Curso de Regência do MIMO acontece em Recife e é ministrado por Isaac Karabtchevsky, o mais conceituado regente brasileiro.  O curso se assemelha ao aplicado pelo maestro em Riva Del Garda, na Itália.  O grande diferencial é que no MIMO o curso é gratuito e dispõe de uma orquestra sinfônica residente. O curso enfatiza o estímulo à capacidade de liderança e o aprimoramento do gestual.  Um concerto público marca o final da semana de aulas.

MIMO PARA INICIANTES
Beneficia crianças de escolas públicas do Ensino Fundamental. O projeto é comandado pelo violonista polonês Jerzy Milewski e a pianista catarinense Aleida  Schweitzer, com a participação do violinista e bonequeiro Mr. Bruno. Juntos, apresentam um panorama da música ocidental, que inclui os principais compositores clássicos e populares. Somente em 2012, a iniciativa levou as aulas-espetáculo a 1.500 crianças em Ouro Preto e Olinda.


FÓRUM DE IDEIAS
Promove uma série de palestras sobre cultura e patrimônio histórico, reunindo importantes nomes do segmento cultural, acadêmico e político. Estão programadas nove palestras, três em cada praça, tendo como eixo central as cidades em suas múltiplas abordagens. Com curadoria da historiadora Vanuza Moreira Braga e da diretora do MIMO Lu Araújo, são destaques na programação “Revisitando Stravinsky” com a pianista e compositora Jocy Oliveira; “Horácio Coppola e as esculturas de Aleijadinho”, com o historiador de arte e professor Luciano Migliaccio; "O Espaço como matéria-prima nas obras de Guimarães Rosa, Rulfo e Faulkner", com  Paulo da Luz Moreira, doutor em Literatura Comparada e professor da Universidade de Yale (EUA) e “A Experiência de Ouro Preto e Olinda, primeiras cidades brasileiras Patrimônio da Humanidade: o que mudou?”,  com Angelo Oswaldo,  presidente do Instituto Brasileiro de Museus (Ibram).

FESTIVAL MIMO DE CINEMA
O Festival MIMO de Cinema apresenta obras de ficção, animação e documentário que tenham a música como tema. Os filmes são projetados em cinemas, telões ao ar livre, pátios de igrejas, mercados e museus, utilizando os cenários naturais das cidades históricas por onde o MIMO passa, sob a direção da atriz e cineasta Rejane Zilles.


Divididos entre as mostras Panorama Brasil, Um Outro Olhar e Retrospectiva, o Festival apresenta filmes como Tropicália, do diretor Marcelo Machado, Faroeste Caboclo, dirigido por René Sampaio e assistido por mais de um milhão de espectadores, Jards, do diretor Eryk Rocha, que retrata o processo de criação de um dos principais artistas do cenário musical brasileiro, Jards Macalé, e uma seleção de filmes inéditos na Mostra Panorama Brasil, como A Batalha do Passinho, sobre o fenômeno cultural do funk carioca, e Pernamcubanos, que fala das afinidades entre Cuba e Pernambuco.

CHUVA DE POESIA
Este ano o MIMO realizará, pela primeira vez, a Chuva de Poesia. Criada pelo tipógrafo e poeta Guilherme Mansur há 20 anos, a primeira Chuva de Poesia aconteceu durante o Carnaval de 1993 das torres da Igreja São Francisco de Paula, em Ouro Preto, quando o poeta resolveu "descolar" a poesia do plano do livro e espalhá-la com a ajuda do vento. Para o MIMO, foram selecionados 21 sonetos de Gregório de Matos, mais conhecido como "Boca do Inferno".

EXPOSIÇÃO
A exposição MIMO 10 anos mostra os bastidores do festival sob o olhar de diversos fotógrafos que documentaram as últimas edições, com destaque para o premiado pernambucano Beto Figueiroa. As imagens registram momentos de atrações que marcaram a história do MIMO, como o Buena Vista Social Club, Gotan Project, Chucho Valdés, Phillip Glass, entre outros. A exposição fica aberta ao público em Paraty, na Igreja Nossa Senhora do Rosário e São Benedito, entre 22 e 25 de agosto, em Ouro Preto, no Centro Cultural e Turístico do Sistema FIEMG, entre 28 de agosto e 1 de setembro, e em Olinda, na Galeria do Palácio dos Governadores (Prefeitura de Olinda), entre 4 e 8 de setembro.

PERFORMANCE
Atração exclusiva do MIMO em Ouro Preto, o grupo Spasso Escola Popular de Circo, de Belo Horizonte, apresenta uma inspirada performance circense, sob a direção de Mauricio Leonard e Rogério Sette Câmara, com trilha sonora de Lenis Rino, acrescentando uma nova linguagem artística à programação do festival. O público poderá interagir com a ação, alterando a luz e até mesmo partes da trilha sonora.

MIMO em números (de 2004 a 2012)
500 mil espectadores
200 concertos com entrada franca
90 filmes exibidos gratuitamente
2.300 músicos participantes
15 mil alunos beneficiados na Etapa Educativa

Serviço:
MIMO Paraty: 23 a 25 de agosto
MIMO Ouro Preto: 29 de agosto a 01 de setembro
MIMO Olinda: 02 a 08 de setembro
Outras informações: www.mimo.art.br


 
Postar um comentário