segunda-feira, 16 de maio de 2011

Conselho mantém Minczuk na OSB

Maestro pede demissão da direção do Teatro Municipal carioca para se concentrar na reestruturação da OSB


Desentendimentos surgiram no bojo de uma avaliação de desempenho imposta pela diração da orquestra e coicotada por parte dos instrumentistas. Amparada na lei e com aval jurídico, a Fundação OSB decidiu em um primeiro instante, demitir os insurgentes por justa causa, o que causou grande revolta no meio musical brasileiro. Grandes solistas, entre eles o pianista Nelson Freire, cancelaram sua participação na temporada.
Reconhecendo a gravidade dos fatos, a Fundação voltou atrás e convidou os músicos para novas negociações em busca de entendimento. A primeira proposta conjunta previa a substituição da demissão por uma suspensão de três dias e uma avaliação adaptada a um formato de música de câmara. Após assembleia dos músico, contudo, eles reivindicaram a anulação de qualquer penalidade e o cancelamento da avaliação. Além disso, “considerando a grave crise de relacionamento existente entre o atual regente titular e os integrantes do corpo orquestral, fruto da inabilidade do trato com os profissionais sob seu comando e da evidente incapacidade de gerenciar questões relacionadas ao dia a dia do conjunto”, os músicos solicitaram o afastamento definitivo do maestro Roberto Minczuk.
Finalmente, em 18 de abril, o Conselho da Fundação OSB decidiu por unanimidade “ratificar a proposta de readmissão dos músicos afastados, convertendo as justas causas em suspensão de dois dias”. O retorno imediato às funções regulares, ontudo, fiaria condicionado à realização da avaliação de desempenho, agendada para junho, !nos moldes sugeridos pelos próprios músicos na reunião do dia 08 de abril, entre representantes dos músicos e do conselho”. A deliberação mais surpreendente, contudo, foi o pedido da Fosb ao maestro e diretor artístico Roberto MInczuk para que ele se desligasse da direção artística do Teatro Municipal do Rio de Janeiro, para se decdicar, “com exclusividade no Rio de Janeiro, à retomada da Temporada 2011 da OSB”. No mesmo dia, Minczuk apresentou sua renúncia ao Teatro Municipal. A Fosb ainda determinou o prazo do dia 25 de abrail para que os músicos se reintegrassem ao conjunto.
Além de outras propostas, a nota da Fosb encerra afirmando que “é importante deixar claro que a instituição é maior que todos e o conselho tem por missão garantir o melhor para sua perenidade e seu constante crescimento”





Revista Concerto
Maio 2011
Postar um comentário