quarta-feira, 25 de maio de 2011

Violinista italiano participará de concerto da ORSSE

Na próxima quinta-feira, 26, às 20h30, mais uma apresentação promete movimentar o palco do Teatro Tobias Barreto (TTB). A Orquestra Sinfônica de Sergipe (ORSSE) faz o terceiro concerto da série Cajueiros que, desta vez, traz o violinista italiano Emmanuele Baldini, que se apresenta ora como regente, ora como solista. Ele também é violino spalla da Orquestra Sinfônica do Estado de São Paulo (OSESP).

Sob a direção artística do Maestro Guilherme Mannis, apoio da Secretaria de Estado da Cultura (Secult) e patrocínio do Instituto Banese e do Banese Card, a série Cajueiros de concertos acontece sempre às quintas-feiras em datas pré-determinadas no TTB. Tem como característica uma programação atraente pela diversidade e pela participação de grandes nomes da música clássica nacional e internacional.

Além da série Cajueiros, a ORSSE possui as séries Mangabeiras, em dias diferenciados no TTB, Sons na Catedral, na Catedral Metropolitana de Aracaju, Orquestra na Estrada, concertos pelo interior do Estado, e uma programação extensa de música de câmara na série Terças Musicais.

Sobre o programa

Para este concerto, a música do século XX estará em destaque, representada pelos compositores Paul Hindemith (1895-1963) e sua sinfonia “Mathias o Pintor” Sergei Prokofiev (1891-1953) no Concerto para Violino e Orquestra n. 2 com solo de Emmanuele Baldini.

Mesmo sendo um compositor do século XIX, Richard Wagner (1813-1883) é considerado pelos musicólogos como um precursor e inovador, abrindo espaço para as novas e revolucionarias idéias do século XX. Seu “Prelúdio e Liebestod” da Ópera Tristão e Isolda é prova disso.

Sobre o solista

Tocando pela terceira com a ORSSE, Emmanuele Baldini foi aluno da classe de Virtuositè de Corrado Romano no Conservatório de Genebra. Estudou música de câmara com o Trio di Trieste e Franco Rossi, tendo se aperfeiçoado em Berlim e em Salzburgo com Ruggiero Ricci.

Vencedor de diversos concursos internacionais, deu início à carreira solo após vencer o Virtuositè de Genebra, e o 3º prêmio no concurso Lipizer, em Gorizia. Emmanuele foi spalla da Orquestra do Teatro Comunale de Bolonha, Orquestra de Trieste, Sinfônica da Galícia, tendo colaborado também com a Orquestra do Teatro alla Scala de Milão. Desde 2005 é spalla da Osesp e fundou o Quarteto Osesp, do qual é o primeiro violino.

Sobre o regente

Guilherme Mannis é diretor artístico e regente titular da Orquestra Sinfônica de Sergipe (ORSSE) desde 2006, onde tem dividido o palco com artistas como Maria João Pires, Michel Legrand, Nelson Freire, Jean Louis Steuerman, André Mehmari, Emmanuele Baldini, Daniel Guedes, Wagner Tiso, Amaral Vieira, Eduardo Monteiro, entre outros.

Como regente convidado, tem dirigido grupos como a Orquestra Sinfônica do Estado de São Paulo (Osesp), Amazonas Filarmônica, Orquestra de Câmara do Amazonas, Sinfônica do Teatro Nacional de Brasília, Sinfônica da Bahia, Sinfônica de Ribeirão Preto, Petrobras Sinfônica, Orquestra Sinfônica Carlos Chávez, Sinfônica Nacional da Bolívia, World Youth Orchestra, Sinfonica di Roma entre outros.
Postar um comentário