segunda-feira, 9 de maio de 2011

Músicos demitidos da OSB fazem concerto-protesto no Rio

Trinta e seis dos 44 músicos demitidos da OSB (Orquestra Sinfônica Brasileira) por discordarem de exigências feitos pelo maestro Roberto Minczuk promoveram um concerto na noite deste sábado.
OSB encerra negociações com músicos demitidos
O evento, prestigiado por cerca de 600 pessoas, ocorreu na Escola de Música da UFRJ (Universidade Federal do Rio de Janeiro).
Os demitidos se reuniram com outros músicos e fizeram ensaios na própria escola, usando instrumentos e partituras da Orquestra Petrobras Sinfônica. O espetáculo de hoje foi regido pelo maestro Osvaldo Colarusso e teve participação da solista Cristina Ortiz.
Todos os músicos vestiam camisetas onde se lia "SOS Orquestra Sinfônica Brasileira".
Antes do início da apresentação, o diretor da Escola de Música, André Cardoso, fez um discurso em que prestou solidariedade aos músicos demitidos. "A verdadeira Orquestra Sinfônica Brasileira está aqui", declarou.
A solista Cristina Ortiz, que deixou de participar de um concerto da composição oficial da OSB para acompanhar os músicos demitidos, apresentou-se também vestida com a camiseta símbolo do protesto.
"Sou amiga do maestro [Minczuk], mas acho que ele agiu totalmente errado. Não tive oportunidade de falar com ele sobre isso e agora estou 'pichada'", disse.
O ex-presidente da Comissão dos Músicos da OSB, Luzer Machtyngier, vislumbrou duas saídas para a situação. "Se todas as penalidades impostas aos músicos fossem retiradas, eles voltariam", disse. "A outra hipótese, que depende de patrocínio e por enquanto é um sonho, é criar outra orquestra", cogitou.




FÁBIO GRELLET
DO RIO

Postar um comentário