quarta-feira, 4 de abril de 2012

Ministério Público investiga reitor da USP por suposto mau uso de verba pública

O reitor da USP, João Grandino Rodas
O reitor da USP (Universidade de São Paulo), João Grandino Rodas, está sendo investigado pelo MPE-SP (Ministério Público Estadual de São Paulo) por suposto uso indevido de verba pública. Ele teria, de acordo com a denúncia feita ao MPE, utilizado boletins institucionais para fazer ataques a professores da FD (Faculdade de Direito), da qual o reitor já foi diretor.
O informativo é editado pela assessoria de imprensa da USP.

Tanto a faculdade quanto o reitor vêm trocando farpas desde que o professor foi declarado persona non grata pela Congregação da FD. Em um dos boletins, a reitoria afirma que a atual direção do Direito “descontinuou” projetos da gestão Rodas.
 “Percebe-que que a faculdade, ou parte dela, sente a perda de dois anos e compreendeu a involução e a situação precária de sua infraestrutura predial, lógica, de bibliotecas etc. Tudo poderia ter sido diferente se, ao invés da teoria da terra arrasada e da confrontação, tivesse havido diálogo e compreensão”, diz um trecho do boletim.

Após a divulgação do texto, o diretor da FD, Antonio Magalhães Gomes Filho, disse ao jornal “O Estado de S. Paulo” que o boletim era uma “agressão muito rude”.
Outro lado
Questionada sobre a investigação do MPE, a assessoria de imprensa da USP afirmou que “a Reitoria já prestou os devidos esclarecimentos ao Ministério Público, em relação às edições do referido boletim, que demonstram sua regularidade”.
Postar um comentário