quinta-feira, 23 de fevereiro de 2012

Voz Ativa Madrigal – 15 anos – Como tudo começou.


Início de 1997.

O então regente assistente do Coro Arco Iris da Prefeitura Municipal de Osasco, Ricardo Barbosa, recebe uma ligação do produtor cultural Paulo Neto comunicando que ele havia sido contratado pelo “Café Brasil”, casa recém-inaugurada na Vila Yara, bairro de Osasco que faz divisa com São Paulo, para cuidar da agenda de shows e promover a casa. Seu projeto era transformar o local em um núcleo cultural. 
O objetivo da ligação era convidar o grupo do Maestro Ricardo Barbosa para um show que faria parte das apresentações de inauguração do referido espaço. O grupo não poderia ser grande dado à limitação do palco, o que, de certa forma impediria a participação do Arco Iris.  Mesmo não tendo um grupo, o maestro deu continuidade à negociação. Sua conduta estava baseada na efetiva possibilidade de criar um conjunto vocal para ocasião visto que no ano anterior, por iniciativa de um grupo de cantores do Coral Arco Iris, ele havia recebido convite para montar um madrigal com os integrantes do Coral Arco Iris que se dedicavam seriamente a atividade e que se destacavam dentro daquele grupo de cantores.
O projeto acabou não dando certo por conta de uma discordância entre o grupo e o maestro no que se referia aos nomes que deveriam ser convidados para a criação do madrigal.

Ora, se no Coral Arco Iris, que no tempo contava com aproximadamente 50 cantores, havia um grupo de pessoas a fim de assumir um trabalho mais intenso com a atividade, a partir deste núcleo poderia ser formado um madrigal.
Foi com este intuito que o regente Ricardo Barbosa idealizou e convidou treze cantores para a realização do show no “Café Brasil”. O maestro tinha em mente colocar prática um antigo projeto em canto coral, visto que em sua visão a regência formal e tradicional encontrava dificuldade em lidar com o “swing” e nuances de andamento e ritmos inerentes a nossa música popular, A formação seria de 14 cantores, tal formação atendia o espaço disponibilizado para o show e permitiria, segundo o planejamento de ensaios idealizado para a ocasião, a possibilidade de colocar em prática o projeto idealizado pelo maestro, desta maneira o próprio regente faria parte do naipe de baixos.   O projeto era que o novo madrigal não tivesse regência quando interpretasse nossa música popular. Experiência que deu certo e é colocada em prática até hoje quando a o grupo interpreta MPB, hoje com 16 cantores.
O nome Voz Ativa, na realidade surgiu quando no ano anterior em uma das reuniões realizadas com o objetivo de formar um madrigal a partir do convite feito ao maestro por cantores do Coral Arco Iris. Naquela reunião o objetivo era escolher um nome para o grupo e definir o primeiro repertório. Enquanto discutiam possíveis nomes, o tenor Rogério Schatt, abriu um dicionário e em voz alta disse – Voz Ativa.
O nome agradou muito ao regente, mas seu voto foi vencido. Quando o maestro idealizou o novo grupo no ano posterior, este já havia um nome, Madrigal Voz Ativa, que posteriormente foi mudado para Voz Ativa Madrigal, porque o grupo começou a se conhecido por madrigal e não por Voz Ativa, a estratégia sugerida pelo baixo Edison Matos deu certo o fato de Voz Ativa antecipar Madrigal fez com as pessoas passassem a gravar o nome do grupo e não o formato dele.
As sopranos Luciana Pansa (hoje mezzo), Ludmila Gavriloff, Regiane Martinez e Samantha Tomé, as contraltos Dulci Biasi, Janaína Melo, Luciana Melo e Rita Tomé, os tenores Rogério Schatt, Aldilei Clemente e Fábio Cunha e os baixos Clóvis Carvalho, Wagner Barbosa e Ricardo Barbosa, constituíram a primeira formação do grupo.

Importante registrar que o tenor Aldilei Clemente, apesar de fazer parte do grupo, não participou da estreia porque estava em Cuba se submetendo a um tratamento cirúrgico oftalmológico que foi possibilitado pelo Coral Arco Iris depois que todos os cantores abriram mão de receber sua participação de uma cota proporcionada por intermédio do valor em dinheiro oferecido pela Secretaria de Cultura do Estado de São Paulo ao grupo quando este conquistou o primeiro lugar no Mapa Cultural Paulista.
Foi com esta formação, às 21H00 do dia 19 de março de 1997 que nasceu no “Café Brasil” em Osasco, SP, o Voz Ativa Madrigal.

 Obs: Veja em nossa página do Facebook (Voz Ativa Madrigal)  fotos relativas ao evento desta matéria, no album de fotos "Como tudo começou"
Postar um comentário