quarta-feira, 8 de agosto de 2012

Álbum de Retrato



Um pouco de história
Há séculos pesquisadores e curiosos estudavam como capturar imagens. Mas só em 1839 se apresentou oficialmente o daguerreótipo, aparelho que conseguia fixá-las em placas de cobre cobertas com sais de prata.
O descobridor foi o francês Louis-Jacques Mandé Daguerre (1787-1851), ex-companheiro de trabalho do também francês Joseph Nicéphore Niepce (1765-1833), responsável em 1826 pela primeira fixação de imagem.
Em 1840, a novidade chegava ao Brasil. Foi por meio do abade Louis Compte, passageiro da corveta belgo-francesa L’Orientale, que aportou de passagem no Rio vindo de Paris. Aqui, o religioso fez três demonstrações do funcionamento do processo – as primeiras na América Latina – e apresentou o daguerreótipo ao imperador dom Pedro II, que logo encomendou um aparelho e se tornou grande entusiasta da fotografia. Além de exercitar o ofício e posar várias vezes com a família real, o monarca também agraciou fotógrafos com títulos e honrarias.
Na mesma época, Antoine Hercule Romuald (1804-1879), mais conhecido como Hércules Florence, desenvolvia experimentos com nitratos de prata e câmara escura no Brasil.
De lá pra cá, um batalhão de gente trabalhou para simplificar o método e oferecer imagens de mais e mais qualidade com menos esforço e necessidade de conhecimento para o usuário.
Postar um comentário