sexta-feira, 28 de outubro de 2011

4º Festival Contemporâneo de Dança 2011 - (SP)


De 1º a 13 de novembro de 2011 será realizada a 4ª edição do Festival Contemporâneo de Dança de São Paulo, contemplado em 2008 com o prêmio APCA (Associação Paulista dos Críticos de Arte) pela produção, difusão e formação em dança.
A intenção do festival, desde sua criação, foi aproximar o público à diversidade de propostas artísticas recentes, tanto em nível nacional, como internacional. Como forma de estreitar laços entre produções, artistas e públicos, o FCD considera essencial o compartilhamento do conhecimento propiciado pelas oficinas ministradas durante a programação, e fundamentalmente, a possibilidade de reflexão sobre os rumos e os desafios da dança contemporânea.
A direção artística do evento é da coreógrafa Adriana Grechi e a direção geral de Amaury Cacciacarro Filho. Essa edição será realizada no Centro de Dança Umberto da Silva, na Galeria Olido, e no Centro Cultural Banco do Brasil, em São Paulo. Todas as atividades do festival são gratuitas.
Programação:
Reunindo artistas da Alemanha, Marrocos, Holanda, Espanha, Uruguai e Brasil, serão apresentados, em duas semanas de programação, 11 trabalhos ousados, de artistas nacionais e internacionais. Apesar de vários espetáculos serem inéditos, o festival entende que a obra não se esgota em sua estreia, é passível de transformação, adquirir delicadezas e nuances que só apresentações reincidentes podem conferir ao trabalho. Alguns deles nasceram de work in progress em edições passadas, outros do diálogo artístico entre criadores, mas revisitar os passos dados, tendo em mente o caráter processual da dança, atualiza nosso olhar sobre as obras em questão.
As produções internacionais do festival chegam ao país com importantes artistas da dança contemporânea em seus países de origem. É o caso do coreógrafo marroquino Taoufiq Izeddiou, que vem com dois trabalhos, “AATABA” e “AALEEF”, Paz Rojo, de Madri, apresenta “LO QUE SEA MOVIÉNDOSE ASÍ”, o sueco Jefta van Dinther, que já trabalhou com Xavier Le Roy, uma das referências da dança contemporânea na Europa, mostrará “KNEEDING”, obra criada com Fredéric Gies e com o brasileiro Thiago Granato, que mora na Europa há vários anos. E, pela primeira vez no Brasil, Eszter Salamon, húngara radicada em Berlim, que apresenta “DANCE FOR NOTHING”, solo que dialoga com a obra “LECTURE OF NOTHING” de John Cage.
A programação voltada às produções nacionais traz artistas das capitais do Paraná, Minas Gerais e São Paulo: Michelle Moura, integrante do coletivo Couve-flor (Curitiba) apresentará “CAVALO”, Marcelo Gabriel (Belo Horizonte) mostra “QUANDO O SOL BRILHA MAIS FORTE A SOMBRA É MAIS ESCURA” e, da capital paulista, Cristian Duarte dança “THE HOT ONE HUNDRED CHOREOGRAPHERS” e também dirige Sheila Arêas, em “CORNÉLIA BOOM” e Ricardo Iazzetta faz “NOIVA DESPEDAÇADA”.
Além das apresentações, serão oferecidas duas palestras: “CORPO SEM ORGÃOS” com o filósofo e criador da Escola Nômade de Filosofia Luiz Fuganti, e “CORPOMÍDIA” com a dramaturgista Rosa Hercoles, coordenadora do Curso Comunicação das Artes do Corpo PUC-SP.
Ampliando as ações de formação artística e de formação de público, este ano foi inaugurado o Projeto de Residências Artísticas (P.A.R.), recebendo três jovens artistas de Montevidéu para uma imersão na programação do festival. Em contrapartida, a fim de estreitar os vínculos com o público e os artistas locais, as residentes apresentarão o trabalho “UD. PREGUNTARÁ POR QUÉ BAILAMOS”, seguido de uma conversa com Rosa Hercoles. Completando a iniciativa, as oficinas de criação desta edição, destinadas à partilha dos procedimentos e as questões que orientam as práticas dos artistas convidados, serão conduzidas por Salamon, Izeddiou, Moura e Dinther.
Festival:
A proposta do Festival Contemporâneo de Dança é apresentar trabalhos com linguagens próprias e singulares em dança contemporânea, reunindo artistas que questionam formas de representação e propõem outras percepções e maneiras de olhar o mundo. O festival é um espaço de aproximação, uma forma de compartilhar possibilidades, exercitar o diálogo e estimular o espectador nas suas capacidades críticas e criativas.
Nascido em 2008 através da união de artistas e produtores, o festival vem se transformando e evoluindo, assumindo como uma de suas principais vocações o papel de formador de público para dança contemporânea e fomentador da produção de jovens artistas e pesquisadores.
O festival, nessa edição, tem o apoio do Centro Cultural Banco do Brasil, Caixa Cultural, da Secretaria Municipal de Cultura, da Secretaria de Estado da Cultura, do Centro Cultural da Espanha, do Consulado Geral da Holanda, do Instituto Goethe e do jornal Folha de São Paulo.

PROGRAMAÇÃO 2011
SEMANA 1
1 e 2 de novembro, terça e quarta
CCBB 19h30: “CAVALO” Michelle Moura (Curitiba) + “CORNÉLIA BOOM” Sheila Arêas e Cristian Duarte (São Paulo)
“CAVALO” (10 anos, 25 minutos) Através de alterações no padrão respiratório, projeções visuais e da deformação da voz, Moura propõe um espaço de alucinações e revela um corpo matéria atravessado por energias e pulsações distintas.
 “CORNÉLIA BOOM” (10 anos, 40 minutos) Arêas e Duarte incorporaram os procedimentos técnicos da artista plástica britânica Cornelia Parker e os transferiram para a dança. “Cornélia Boom” apresenta uma dança ambivalente, explicitando a fisicalidade que antecede a escolha de uma ação.
3 e 4 de novembro, quinta e sexta
CCBB 19h30: PROJETO P.A.R.: “UD. PREGUNTARÁ POR QUÉ BAILAMOS” Natalia Burgueño, Ana Oliver e Carolina Guerra (Montevidéu)
“UD. PREGUNTARÁ POR QUÉ BAILAMOS” (10 anos, 50 minutos) documenta um processo criativo que fala de memórias atrofiadas, pequenas homenagens, desejos, fracassos, paixões e conflitos existenciais em relação à dança, à criação e à fragilidade do ser humano.
OLIDO 21h: “ÂATABA” Taoufiq Izeddiou e Cia Anania (Marrakech)
“ÂATABA” (10 anos, 50 minutos) trata de limiares, espaços a serem atravessados. Izeddiou explorou novos locais no Marrocos destinados a festa e a liberação do corpo. As bailarinas em “ÂATABA” revisitam estados físicos que são inventados nestes subsolos onde o corpo se torna uma porta aberta para a mistura de hábitos, rituais, atitudes e músicas.
5 de novembro, sábado
CCBB 19h30: “AALEEF” Taoufiq Izeddiou (Marrakech)
“AALEEF” (10 anos, 50 minutos) quer dizer “eu me transformo”. Solo do coreógrafo Taoufiq Izeddiou que trata a questão da identidade como uma ferida aberta. Izeddiou praticou boxe, teatro e arquitetura antes de se dedicar à dança contemporânea.
OLIDO 21h: “KNEEDING” Jefta van Dinther (Estocolmo/Amsterdã)
“KNEEDING” (10 anos, 60 minutos) explora as relações entre o que acontece dentro de um corpo e fora dele: como processos internos se manifestam externamente e como o exterior influencia o que está no interior.
6 de novembro, domingo
CCBB 14h30: PALESTRA COM LUIZ FUGANTI: “CORPO SEM ORGÃOS”
Palestra com o filósofo e criador da Escola Nômade de Filosofia Luiz Fuganti.
CCBB 16h30: PROJETO P.A.R.: CONVERSA COM ROSA HERCOLES
Conversa pública com a dramaturgista Rosa Hercoles e as bailarinas Ana Oliver, Carolina Guerra e Natalia Burgueño, integrantes do projeto P.A.R. – um programa de imersão no FCD voltado para jovens artistas do Brasil e da América Latina.
CCBB 18h: “AALEEF” (10 anos, 50 minutos) Taoufiq Izeddiou (Marrakech)
OLIDO 19h30: “KNEEDING” (10 anos, 60 minutos) Jefta van Dinther (Estocolmo/Amsterdã)
SEMANA 2
8 e 9 de novembro, terça e quarta
CCBB 19h30: “DANCE FOR NOTHING” Eszter Salamon (Budapeste/Berlim)
“DANCE FOR NOTHING” (10 anos, 60 minutos) Neste solo, Eszter Salamon recita a música de John Cage “Lecture on Nothing” (1949) e, simultaneamente, dança com o objetivo de criar uma coreografia de movimentos justapostos à peça textual.
10 e 11 de novembro, quinta e sexta
CCBB 19h30: “NOIVA DESPEDAÇADA” Ricardo Iazzetta (São Paulo)
“NOIVA DESPEDAÇADA” (14 anos, 50 minutos) dialoga com a jornada do herói, que impulsionado por uma contingência, cruza um limite para retornar outro, e ainda assim aquele um, e nunca mais o mesmo.
OLIDO 21h: “HOT 100 – THE HOT ONE HUNDRED CHOREOGRAPHERS” Cristian Duarte (São Paulo)
“HOT 100 – THE HOT ONE HUNDRED CHOREOGRAPHERS” (10 anos, 60 minutos) toma como assunto e material coreográfico 100 trechos-obras de 100 coreógrafos, tratando a criação e performance como um dispositivo para se pensar em forma, criação, produção, autoria, excesso, contexto e resolução.
12 de novembro, sábado
CCBB 19h30: “QUANDO O SOL BRILHA MAIS FORTE A SOMBRA É MAIS ESCURA” Marcelo Gabriel (Belo Horizonte)
“QUANDO O SOL BRILHA MAIS FORTE A SOMBRA É MAIS ESCURA” (14 anos, 50 minutos). O espetáculo versa sobre o retorno de ideologias fascistas no mundo moderno, como este discurso está inserido na indústria da moda, na política e na linguagem contemporânea.
OLIDO 21h: “LO QUE SEA MOVIÉNDOSE ASÍ” Paz Rojo (Madri)
O solo “LO QUE SEA MOVIÉNDOSE ASÍ” (14 anos, 40 minutos) lida com a ideia de “Corpo” como o nome dos limites impostos. Rojo propõe que este “Corpo” é sempre o corpo dos outros.
13 de novembro, domingo
CCBB 16h: PALESTRA COM ROSA HERCOLES: “CORPOMÍDIA”
Palestra sobre a teoria “Corpomídia” de Helena Katz e Christine Greiner com a dramaturgista e coordenadora do Curso Comunicação das Artes do Corpo PUC-SP Rosa Hercoles.
CCBB 18h: “QUANDO O SOL BRILHA MAIS FORTE A SOMBRA É MAIS ESCURA” (14 anos, 50 minutos) Marcelo Gabriel (Belo Horizonte)
OLIDO 19h30: “LO QUE SEA MOVIÉNDOSE ASÍ” (14 anos, 40 minutos) Paz Rojo (Madri)
OFICINAS DE CRIAÇÃO – GALERIA OLIDO
 “DANÇA CONTEMPORÂNEA E RITUAL GNAWA”
Com Taoufiq Izeddiou e o músico Adil Amimi (Marrakech)
1 e 2 de novembro, das 15h às 19h
 “KNEEDING WORKSHOP”
Com Jefta Van Dinther (Estocolmo/Amsterdã)
3 e 4 de novembro, das 15h às 19h

“CHOREOGRAPHIC PROBLEMS”
Com Eszter Salamon (Budapeste/Berlim)
4, 5 e 6 de novembro, das 15h às 19h
 “POSICIONAR/ REPOSICIONAR-SE”
Com Michelle Moura (Curitiba)
3 a 7 de novembro, das 13h às 19h
CCBB – Centro Cultural do Banco do Brasil
Rua Álvares Penteado, 112 – Próximo às estações Sé e São Bento do metrô
Telefones: (11) 3113-3651 begin_of_the_skype_highlighting              (11) 3113-3651      end_of_the_skype_highlighting (11) 3113-3651 begin_of_the_skype_highlighting              (11) 3113-3651      end_of_the_skype_highlighting e 3113-3652 Site: www.bb.com.br.
Ingressos: gratuitos, distribuídos uma hora antes
Galeria Olido
Avenida São João, 473, Centro, São Paulo, SP – Próxima à estação República do metrô
Telefone: 011 3397-0171 begin_of_the_skype_highlighting              011 3397-0171      end_of_the_skype_highlighting Site: www.galeriaolido.sp.gov.br
Ingressos: gratuitos, distribuídos uma hora antes

Postar um comentário