quinta-feira, 10 de março de 2011

Leonardo Martinelli - Retrospectiva 2010

depoimento de dezembro de 2010
(12/1/2011)

Dentre os muitos movimentos ocorridos no tabuleiro de xadrez da música clássica brasileira, foi na ópera que os lances mais instigantes foram dados. De um lado, a Companhia Brasileira de Ópera realizou uma bem-sucedida turnê pelo país e começa este ano extremamente esperançosa, dada a proximidade de John Neschling com as altas esferas da política cultural federal. De outro, tivemos reinauguração do Municipal carioca e a criação da Orquestra do Teatro São Pedro, completando uma temporada nacional de espetáculos líricos que tem em Manaus e Belo Horizonte seu porto seguro. Outra boa notícia vem da área dos festivais. O tradicional evento de Campos do Jordão ganha novos coloridos ao apostar no ecletismo de seus espetáculos e no repertório de câmara com seus bolsistas, e também aponta para o futuro com otimismo com a promessa da construção de uma sede fixa na cidade. Boa nova também com festivais de menores dimensões, que vêm consolidando boa reputação no meio especializado ao mesmo tempo em que são peças fundamentais para a difusão da música fora dos grandes centros urbanos. À parte as incertezas e turbulências em curso em seus bastidores, a Osesp continuou a proporcionar apresentações de excelente nível, das quais sobressai uma Sagração da primavera com Kristjan Järvi que ganha status de “gol de placa” na instituição. Na música moderna, a criação da Camerata Aberta e seu exuberante trabalho contrasta com a desorganização do tradicional Festival Música Nova, que a cada ano perde terreno e prestígio nesta área tão importante para a cultura do país, recentemente abalada com a morte do compositor Almeida Prado.”

Leonardo Martinelli, compositor, professor e colaborador da Revista CONCERTO http://www.concerto.com.br/contraponto.asp?id=882
Postar um comentário