quarta-feira, 23 de maio de 2012

Jazz Sinfônica recebe Toninho Ferragutti no Auditório Ibirapuera em homenagem a Luiz Gonzaga

 Luiz Gonzaga 

25 | SEX | MAI | 21h00
26 | SÁB | MAI | 21h00

FABIO PRADO, regente e diretor
Terceira apresentação da série Jazz+ 2012 celebra o centenário de nascimento de Gonzagão, o rei do Baião
Programa

CYRO PEREIRA
Prata da Casa
Suíte Brasiliana Nº 1 V- Baião
Solista: Luiz Guello, percussão

LUIZ GONZAGA
Asa Branca
Arranjo: Luiz Arruda Paes

TONINHO FERRAGUTTI
Na Sombra de Asa Branca
Arranjo: Adail Fernandes

TONINHO FERRAGUTTI
Forró Classudo
Arranjo: Adail Fernandes

LUIZ GONZAGA
Sinfonia Nº 3 - Rapsódia Gonzaguiana
Arranjo: Sivuca

LUIZ GONZAGA e HUMBERTO TEIXEIRA
Estrada de Canindé
Arranjo: Newton Carneiro

LUIZ GONZAGA e JOSÉ DE SOUZA DANTAS FILHO/ZÉ DANTAS
13 de Dezembro
Arranjo: Marcelo Ghelfi

LUIZ GONZAGA e HUMBERTO TEIXEIRA
Qui Nem Jiló
Arranjo: Rodrigo Morte

LUIZ GONZAGA e HERVÊ CORDOVIL
A Vida de Viajante
Arranjo: Tiago Costa

Nos dias 25 e 26 de maio (sexta-feira e sábado), às 21h, a Jazz Sinfônica apresenta, no Auditório Ibirapuera, 100 Anos de Luiz Gonzaga, o terceiro de oito concertos da temporada Jazz+2012. O convidado desta vez é Toninho Ferragutti, um dos grandes nomes do acordeom do Brasil. Eles homenageiam o rei do Baião, Luiz Gonzaga em seu centenário. A regência é do maestro adjunto, Fabio Prado, também diretor do espetáculo.
Nestas noites dedicadas a música nordestina, as obras do acordeonista carinhosamente conhecido como Gonzagão são apresentadas com uma roupagem moderna e orquestral, reforçando o quanto as suas melodias são ricas e propícias para a criação de arranjos sofisticados. O acordeom e o talento de Ferragutti para tocar esse mesmo instrumento, marca registrada de Luiz Gonzaga, atraíram a Jazz Sinfônica para chamá-lo como convidado especial da apresentação.
 “Toninho é um companheiro de longa data e, especialmente nesse momento em que celebramos Luiz Gonzaga, teremos um encontro muito feliz”, diz o maestro Fabio Prado. “Além de também tocar acordeom, ele compôs uma música em homenagem a Gonzaga (Na Sombra de Asa Branca), que vamos trazer para essa apresentação. Então, tenho certeza de que vai ser um concerto inesquecível”, conclui.
A Jazz Sinfônica abre as duas noites de espetáculo com Baião, um movimento da Suíte Brasiliana, de Cyro Pereira. Trata-se de uma das composições mais conhecidas do maestro fundador da Jazz. Esse momento da programação é chamado Prata da Casa quando, em cada espetáculo, uma música diferente destaca para o público o trabalho de um dos membros da orquestra. Neste concerto, o solo é do percussionista Luiz Guello.
Na sequência, os músicos da Jazz interpretam a tradicional Asa Branca, com arranjo de Luiz Arruda Paes. “A proposta dele foi fazer essa música viajar pelo tempo; pensando como seria se tivesse sido composta nos períodos clássico, romântico e moderno”, conta o maestro. “É uma peça emblemática da orquestra, já que foi executada, pela primeira vez, no primeiro concerto da Jazz. Iremos tocá-la na versão integral, mas com arranjo ampliado por mim para a formação atual da Jazz”, conta.
Acompanhada por Ferragutti, a orquestra apresenta um repertório composto por obras de Luiz Gonzaga com seus parceiros, como Rapsódia Gonzaguiana, Qui Nem Jiló, e composições do próprio Ferragutti, entre elas, Na Sombra de Asa Branca e Forró Classudo (veja programa completo abaixo).
A temporada Jazz +, em que a Jazz Sinfônica convida um músico diferente para cada espetáculo acontece até novembro. No total, até aquele mês terá realizado oito concertos, sempre às sextas-feiras e sábados no Auditório Ibirapuera
Postar um comentário