segunda-feira, 19 de março de 2012

Espaço Itaú de Cinema abre dia 30


Desde o dia 4 de novembro do ano passado, os cinéfilos curitibanos interessados em filmes que ficam à margem do circuito dos multiplexes mais comerciais vêm enfrentando um jejum forçado. Com o fechamento do Unibanco Arteplex do Shopping Crystal, a programação local sofreu um baque. Muitos títulos importantes, em cartaz há semanas, quando não meses, em outras cidades, permanecem inéditos por aqui.
Mas há uma luz no fim do túnel: com o novo nome de Espaço Itaú de Cinema, por conta da fusão entre as duas instituições financeiras, patrocinadoras da rede de cinemas que reúne perto de 60 salas em todo o país, o conjunto de cinco salas de exibição do Crystal voltará a funcionar depois de quase seis meses de reforma.
A lista de filmes que estão na fila para entrar em Curitiba che­­ga a ser constrangedora, se levarmos em conta o tempo que alguns dos longas estão circulando pelos cinemas brasileiros. Talvez o mais aguardado seja A Separação, do iraniano Asghar Farhadi, vencedor do Fes­­tival de Berlim (2011), do Globo de Ouro e do Oscar, am­­bos na categoria de melhor filme estrangeiro.

Só para citar alguns, também permanecem inéditos na capital paranaense O Garoto da Bicicleta, dos irmãos belgas Jean-Pierre e Luc Dardenne, vencedor do prêmio de melhor roteiro no Festival de Cannes (2011), O Porto, do finlandês Aki Kaurismäki, e o argentino Um Conto Chinês, de Sebastián Borensztein, que teve sessões de pré-estreia em Curitiba, mas nunca entrou em cartaz e já está disponível no país em DVD.
Segundo o diretor de programação da rede, Adhemar Olivei­ra, o grande desafio será continuar mantendo a qualidade da programação, atendendo a diferentes segmentos de público, como as crianças, focando também em filmes independentes, nacionais e internacionais, e documentários.

Mudança
Ao todo, existem hoje no país 56 salas que antes pertenciam às redes Espaço Unibanco, mais voltada ao chamado cinema de arte, e Unibanco Arteplex, de perfil mais híbrido e que misturava em suas programações títulos autorais a longas-metragens mais comerciais. Agora todas se chamam Espaço Itaú de Cinema.

O caso das salas curitibanas era bastante particular, porque o multiplex, antes de propriedade do circuito Luiz Severiano Ribeiro, já existia, e quando se tornou integrante da rede Unibanco não foram feitas reformas e mudanças estruturais mais significativas.
Quando o Espaço Itaú de Cinema for inaugurado, o público que já frequentava o Unibanco Arteplex vai encontrar um cenário bem diferente. Os cinemas e as áreas comuns passarão por uma mudança integral, do piso ao teto: tudo será novo, das poltronas aos banheiros, passando pela bombonière e, mais importante, pelo sistema de som e projeção. Seguindo padrões internacionais, o novo cineplex terá cin­co novos projetores, todos digitais.
Postar um comentário