terça-feira, 27 de setembro de 2011

PRINCIPAL ORQUESTRA DE CÂMARA DA FRANÇA, ENSEMBLE ORCHESTRAL DE PARIS E O CORO ACCENTUS, DIRIGIDO POR LAURENCE EQUILBEY, REALIZAM CONCERTOS EM SÃO PAULO

As apresentações acontecem dias 30 de setembro e 1º de outubro na Sala São Paulo pela temporada 2011 da Sociedade de Cultura Artística.
Há 30 anos na vanguarda européia, o Ensemble Orchestral de Paris é considerado o mais importante grupo de câmara da França, tendo recebido inúmeros elogios da crítica especializada por suas temporadas anuais no Thêátre des Champs- Élysées. Já o Coro Accentus foi considerado “Ensemble do ano” em 2002, 2005 e 2008 pela Les Victoires de la Musique Classique, da França.
Nos dias 30 de setembro e 1º de outubro, a orquestra e o coro apresentam-se pela Temporada 2011 da Sociedade de Cultura Artística, contando ainda com as participações do barítono Matthew Brook e da soprano francesa Mireille Delunsch. O programa das duas noites é dedicado a compositores franceses: de Hector Berlioz, serão executadas La Mort de Cléopâtre e Tristia Nº1; e de Gabriel Fauré, Réquiem.
A abordagem intimista e original do ensemble tem despertado a admiração não só do público francês, mas também das platéias do Japão e América do Sul. Fundado em 1978 e sob regência de Joseph Swensen desde 2009, possui mais de 20 gravações, entre CDS e DVDs, que mesclam o repertório clássico, contemporâneo e a música de câmara. Os títulos incluem o ciclo completo das sinfonias de Beethoven, sobdireção de John Nelson; os concertos de Chopin, com o pianista Boris Berezovsky; e a Missa em si menor de Bach, gravada na Catedral Notre-Dame, em Paris.
Em turnê ou em estúdio, o Ensemble Orchestral de Paris costuma associar-se aos mais importantes grupos e musicistas da Europa, tais como Heinrich Schiff, Maxim Vengerov, Fabio Bondi, Thomas Zehetmair, Patricia Kopatchinskaja, as irmãs Labèque, Paul Lewis, Emmanuel Pahud, Sir Roger Norrington, Stephen Kovacevich, Vadim Repin, Jean-Yves Thibaudet, François Leleux e Alison Balsom. Dentre eles está também o Coro Accentus, residente da Ópera de Rouen, que reedita esta colaboração no palco da Sala São Paulo.

O Coro Accentus, fundado em 1991 por Laurence Equilbey, que permanece sua atual maestrina e diretora artística, é aclamado como um dos mais prestigiosos intérpretes demúsica contemporânea na Europa, realizando mais de 60 concertos por ano. Frequentemente convidados nos mais notáveis festivais de música da França e já tendo colaborado com importantes maestros, como Pierre Boulez, Jonathan Nott, Christoph Eschenbach, o Coro, com seus 32 integrantes se apresenta, a capella ou com orquestra, e ainda leva música à escolas, hospitais, prisões e asilos.

Com mais de 20 álbuns lançados, o grupo tem sido aclamado pelacrítica desde sua primeira gravação e já foi responsável por mais de sessenta premières de novos compositores como Bruno Mantovani, Marco Stroppa e Gérard Pesson. Recentemente nomeado pela revista Gramaphone como um dos dez principais coros do mundo, o conjunto coleciona prêmios como o Midem Classical Award, em 2006, pela gravação de Schoenberg ao lado do Ensemble Interconteporain e o Disque D’Or, em 2008, pelo lançamento do álbum Transcriptions, que também foi indicado ao Grammy em 2004.

Finalmente, entre seus principais registros está uma gravação do Requiem de Gabriel Fauré com membros da Orquestra Nacional Francesa, obra também incluida na tournée sulamericana.

Mireille Delunsch – Com um repertório que se estende de Monteverdi a Varèse, a soprano destaca-se pelo ecletismo. De origem francesa, Delunsch estreou na Opera du Rhin, na Rússia, e atualmente divide seu tempo entre apresentações como solista e grandes produções operísticas.
Dentre os mais importantes papéis da soprano é possível destacar Mimi, em La Bohème, de Puccini; Agathe, em Die Freischütz, de Weber; Micaela, em Carmen, de Bizet; além das personagens principais em Pelléas et Mélisande, de Debussy e em L`Incoronazione di Poppea, de Monteverdi.

Matthew Brook – Papéis notáveis em óperas e turnês pela Europa e Estados Unidos fazem de Matthew Brook um nome de grande relevância internacional. Com uma voz “clara e ágil”, de acordo com crítica publicada pelo New York Times, o barítono de origem inglesa já trabalhou com grandes nomes da música clássica como Sir John Eliot Gardiner, Richard Hickox, Sir Charles Mackerras e Paul McCreesh.

Como solista, interpretou Requiem de Brahms ao lado da Filarmônica de São Petersburgo; Harmoniemesse, de Haydn com a Orquestra de Dresden e Christimas Cantadas, de Bach, em parceria com Sir John Eliot Gardiner. Sua trajetória pela ópera inclui papeis como oZuriga, em Carmen, em temporada na Opera Comique, em Paris; Polyphemus, em Acis and Galatea, de Handel; Ismeron, em The Indian Queen, de Purcell; Papageno, em A Fláuta Mágica, de Mozart, dentre muitos outros.

Convidadofrequente em festivais de música como o Edinburg, Cheltenham e o BBC Proms,Brook tem uma vasta discografia que conta com L’Enfance du Christ, de Berlioz, gravado em parceria com Richard Hickox e a BBC National Orchestra ds Wales; Idomeneo, com a Orquestra de Câmara da Escócia e Sir Charles Mackerras e ainda Messiah, de Handel, que rendeu ao cantor um prêmio Gramophone.

SOCIEDADE DE CULTURA ARTÍSTICA - TEMPORADA 2011
Local: Sala São Paulo
Praça Júlio Prestes, s/nº - Luz - São Paulo (SP).
Capacidade: 1484 lugares        

ENSEMBLE ORCHESTRAL DE PARIS
CORO ACCENTUS, regência de Laurence Equilbey
MIREILLE DELUNSCH soprano
MATTHEW BROOK, barítono
30 de setembro e 1º de outubro (sexta-feira e sábado)
Berlioz            La Mort de Cléopâtre
                       Tristia Nº1
Fauré             Réquiem

Mais informações: www.culturaartistica.com.br
Ar condicionado / Acesso Para Deficientes - Classificação etária: Livre
Estacionamento Conveniado: Estapar R$ 10 (Rua Mauá, nº51)

Televendas Cultura Artística: (11) 3258-3344 begin_of_the_skype_highlighting              (11) 3258-3344      end_of_the_skype_highlighting, de segunda a sexta, das 10h às 18h.
Preços: Setor 1 – R$ 230 / Setor 2 – R$ 190 / Setor 3 – R$ 120 / Setor 4 – R$ 70
Estudantes até 30 anos – R$10 – Meia-horaantes dos concertos
Atenção: o número do televendas da Sociedade de Cultura Artística não é o da Sala São Paulo.

Apoio: Lei de Incentivo à Cultura – Ministério da Cultura
Postar um comentário