quinta-feira, 29 de setembro de 2011

Workshop Unifesp destaca outra África

Dia 1º de outubro, Fanta Konatê, bailarina e cantora da República da Guiné, filha do mestre percussionista Famoudou Konatê, e Luis Kinugawa, musicoterapeuta, percussionista, diretor do Instituto África Viva, apresentam em Embu das Artes um programa imperdível. Trata-se de A Arte do Império de Mali (século 13) e sua Diáspora, tema do workshop que faz parte da grade de cursos da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp), campus de extensão Embu das Artes, e elaborado com base na Lei nº 10.639, assinada pelo então presidente Lula em 2003, que estabelece a obrigatoriedade do ensino de História e Cultura Afro-Brasileira e Africana no País.
O workshop mostra uma África que o brasileiro não conhece. O Oeste africano é diferente na música, na dança e até nos valores de Nigéria, Angola, Benim, países do ocidente da África, mais presentes no Brasil por meio das manifestações afro-brasileiras e dos orixás, por exemplo. O workshop é focado nos griôs, com belas músicas e danças para batismo, casamento e manifestações folclóricas. Com história de 4 mil anos, é um povo do oeste da África que foi ainda mais massacrado que os negros ocidentais por sua inteligência e conhecimento elevado da forja e do ferro, características do império mandinga.
Os griôs tocavam djembe, um tambor estilo taça com um som que faz qualquer um viajar no tempo ao encontro dos mandingas, que também eram grandes mágicos e feiticeiros. Inspiraram o termo mandingado, que significa enfeitiçado, embruxado e que está no Canto de Ossanha (Coitado do homem que vai atrás de mandinga de amor...), de Vinícius de Moraes. Só que aqui, a mandinga tem final feliz: “A África não pode ser vista como um único país. São muitas etnias, com línguas próprias. Vamos mostrar tudo isso”, diz Luis Kinugawa, brasileiro que viveu alguns anos naquele país. 
As inscrições estão abertas para o workshop, gratuito, com palestra, mostra de vídeos, vivência de percussão e dança. Serão abordados os temas:
- História e Geografia do Império de Mali (século 13)
- Sundjata Keita – o Menino Leão que nasceu paraplégico
- Hierarquia e Clãs no Império de Mali
- O que são povos Mandingas
- O que são Griôs
- A importância da Música e da Danç a no Mandén
- A queda do Império e a Colonização da Guiné
- A Guiné atual
- Os Mandingas no Brasil
- O trabalho do Instituto África Viva (Brasil, Guiné, EUA, Japão)
O workshop, coordenado pela Prefeitura de Embu das Artes, por meio da Secretaria de Cultura, ser&aacu te; realizado no dia 1º/10, sábado, das 14 às 18 horas, no Centro Cultural Mestre Assis do Embu (Largo 21 de Abril, 29, Centro Histórico). Informações: 4785-3683 e 4785-3562.
Elke Lopes Muniz
Postar um comentário