quinta-feira, 31 de outubro de 2013

Orquestra Experimental de Repertório e Coral Paulistano, juntos


A Orquestra Experimental de Repertório (OER) e o Coral Paulistano estarão juntos no palco do Theatro Municipal de São Paulo no dia 3 de novembro, domingo, às 11h, para um concerto comemorativo do centenário de nascimento de Benjamin Britten. sa
O programa traz duas das obras mais importantes do compositor inglês: a Cantata Academica, que será regida pelo maestro titular do Coral Paulistano, Bruno Greco Facio; e a Sinfonia da Requiem, sob a batuta de Jamil Maluf, maestro titular da OER. E também regida por Maluf, uma obra do compositor estoniano Arvo Pärt dedicada a Britten, Cantus in Memoriam Benjamin Britten.
Os ingressos, já à venda, custam entre R$ 10 e R$ 40 e podem ser adquiridos pelo site Ingresso Rápido (www.ingressorapido.com.br) e na bilheteria do Theatro Municipal (ver horários de funcionamento abaixo).
Benjamin Britten nasceu em Lowestoft, Inglaterra, em 22 de novembro de 1913, Dia de Santa Cecília, padroeira da música. Sua mãe, uma cantora amadora, esperava que o filho, depois de Bach, Beethoven e Brahms, se tornasse o “Quarto B”.
De fato, Britten tornou-se uma figura central da música clássica do século XX. Em 63 anos de vida, compôs mais de 100 trabalhos, que incluem concertos para coral, orquestra, música de câmara e até um balé.
A Cantata Academica, Carmen Basiliense, Op.62 foi composta em 1959 para comemorar o 500º aniversário de fundação da Universidade da Basiléia, onde estreou, em 1960. Dividida em duas partes e treze seções, tem a participação de coral a quatro vozes, quatro solistas vocais e orquestra. O texto, em latim, é baseado em escrituras da Universidade.
O Cantus in Memoriam Benjamin Britten é um cânon em lá menor, escrito em 1977 pelo compositor estoniano Arvo Pärt para orquestra de cordas e campana. A escrita é despojada e baseada em uma simples melodia que, à medida que a peça de apenas seis minutos progride, vai se enredando em uma estrutura cada vez mais densa. Pärt escreveu essa obra como um memorial à morte de Britten, ocorrida em dezembro de 1976, compositor cuja “inusual pureza” era admirada por ele.
A Sinfonia da Requiem, Op.20, é a maior obra puramente sinfônica de Britten, se tornando uma de suas criações mais executadas em salas de concerto. Seus três movimentos (Lacrymosa, Dies Irae e Requiem Aeternam) são tocados sem interrupção, com uma duração total de aproximadamente vinte minutos. Foi escrita em 1940, quando o compositor tinha 26 anos, sob encomenda do governo japonês para comemorar o 2.600º aniversário de fundação do Império. Entretanto, a obra acabou rejeitada, por conta do uso de subtítulos extraídos do réquiem católico. A estreia acabou ocorrendo em Nova York, no Carnegie Hall.
Orquestra Experimental de Repertório - Foi criada em 1990, a partir de um projeto do maestro Jamil Maluf, hoje seu diretor artístico, integrando o Theatro Municipal de São Paulo como um de seus corpos artísticos. Pela OER já passaram mais de 600 jovens talentos, que dela partiram para ocupar postos em orquestras do Brasil e do exterior.
A programação da OER é construída, em grande parte, sobre séries temáticas, que refletem a diversidade do repertório sinfônico de qualidade que, principalmente a partir do século 20, se faz presente nas diversas formas de expressão artística. Entre os prêmios recebidos, destaca-se o Prêmio Carlos Gomes de melhor orquestra, em 1997.
Jamil Maluf - Natural de Piracicaba, transferiu-se em 1973 para a Alemanha, onde se graduou em Regência Orquestral na Escola Superior de Música de Detmold. Por quatro vezes recebeu o prêmio de “Melhor Regente de Orquestra”, outorgado pela APCA - Associação Paulista dos Críticos de Arte. Também ganhou o “Prêmio Carlos Gomes” e o “Prêmio Maestro Eleazar de Carvalho". Jamil ainda foi premiado como compositor de trilhas sonoras para teatro pelas peças: “Espias”, “Imago” e “A Mão”. De 2005 a 2009, foi diretor artístico do Theatro Municipal de São Paulo.
Coral Paulistano - O Coral Paulistano foi criado em 1936, por iniciativa de Mário de Andrade, então diretor do Departamento Municipal de Cultura. A proposta era levar a música brasileira ao Theatro Municipal de São Paulo. Tratava-se de uma ideia de vanguarda, já que a elite paulistana desconhecia a importância do movimento nacionalista que contagiava os compositores brasileiros da época.
Marco da história da música em São Paulo, o grupo foi um dos muitos desdobramentos do movimento modernista da Semana de Arte Moderna de 1922. Em 77 anos, esteve sob a orientação de alguns dos mais destacados músicos do país, como o próprio Camargo Guarnieri, além de Fructuoso Vianna, Miguel Arqueróns, Tullio Colacioppo, Abel Rocha, Zwinglio Faustini, Antão Fernandes, Samuel Kerr, Henrique Gregori, Roberto Casemiro, Mara Campos e Thiago Pinheiro.
Foi considerado um dos mais versáteis coros da cidade, além de sua eclética programação a cappella, participa assiduamente das produções operísticas e dos concertos sinfônicos do Theatro Municipal de São Paulo.
Bruno Greco Facio - Paulistano, graduado em composição e regência pelas Faculdades de Artes Alcântara Machado, estudou sob a orientação dos mestres Abel Rocha, Isabel Maresca e Naomi Munakata. A convite do maestro Neschling, tornou-se regente titular do Coral Paulistano em fevereiro de 2013. Em 2011 assumiu a regência do Collegium Musicum de São Paulo, tradicional coro da capital, dando continuidade ao trabalho musical do maestro Rocha. Por 11 anos dirigiu o Madrigal Souza Lima, trabalho responsável pela formação musical de jovens cantores e regentes.

THEATRO MUNICIPAL DE SÃO PAULO
ORQUESTRA EXPERIMENTAL DE REPERTÓRIO
Domingo, 3 de novembro de 2013, às 11h

Programa
Benjamin Britten – Cantata Academica, Carmen Basiliense, Op.62              
Arvo Pärt - Cantus in Memoriam Benjamin Britten                                        
Benjamin Britten – Sinfonia da Requiem, Op.20                                             

Serviço
Orquestra Experimental de Repertório e Coral Paulistano: Homenagem ao centenário de Benjamin Britten
Local: Theatro Municipal de São Paulo
Duração: Aproximadamente 1h, com intervalo de 20 minutos
Capacidade: 1.500 lugares
Sugestão de faixa etária: acima de 10 anos.
Endereço: Praça Ramos de Azevedo, s/nº.
Telefone: (11) 3397-0300 / Bilheteria: 3397-0327
Ingressos: R$ 10 a R$ 40 – meia-entrada para estudantes
www.ingressorapido.com.br 

Bilheteria do Theatro Municipal:
De segunda a sábado das 10h às 19h. Domingo das 10h às 17h.
- Nos espetáculos à noite, até o início do evento;
- Em dias de espetáculos pela manhã, a partir das 9h.

Postar um comentário