sexta-feira, 4 de outubro de 2013

Pesquisa sugere que cantores de coral sincronizam batidas do coração


Pesquisadores da Universidade de Gotemburgo, na Suécia, descobriram que os cantores de coral sincronizam as batidas de seus corações durante as apresentações. Quando o grupo cantava em uníssono (repetir juntos a mesma letra no mesmo tom), as batidas do coração de cada um aumentavam e diminuíam na mesma frequência. Os cientistas identificaram também que, quanto mais estruturado o trabalho musical, mais a pulsação dos cantores aumentava ou diminuía em conjunto BBC

Cantores de coral não apenas harmonizam suas vozes, mas também sincronizam as batidas de seus corações, sugere um estudo sueco.
Pesquisadores na Suécia monitoraram o ritmo das batidas de cantores que apresentaram uma variedade de peças para coral.
Eles descobriram que quando os membros do coral cantavam em uníssono - ou seja, repetiam juntos a mesma letra no mesmo tom -, as batidas de seus corações começavam a aumentar e diminuir na mesma frequência.
No estudo, publicado pelo jornal científico Frontiers in Psychology (Fronteiras na Psicologia), os cientistas dizem acreditar que isso ocorre porque os cantores coordenam suas respirações, mesmo que de forma inconsciente.
Para Bjorn Vickhoff, da Sahlgrenska Academy, na Universidade de Gotemburgo, na Suécia, "o pulso dos cantores diminui quando estes expiram e aumenta quando eles inspiram".
"Então, quando você está cantando, você está cantando com o ar que você está expirando, assim sua frequência cardíaca cai. Mas entre as frases, você tem que inalar mais ar, e a pulsação aumenta".
"Se este é o caso, então a frequência cardíaca seguiria a estrutura das músicas e frases, e foi exatamente isso o que medimos e confirmamos", explica Vickhoff.
Cantando ao coração
Os cientistas monitoraram 15 membros de corais enquanto estes apresentavam diferentes tipos de canções.
Eles identificaram que quanto mais estruturado o trabalho musical, mais a pulsação dos cantores aumentava ou diminuía em conjunto. Cânticos mais lentos, por exemplo, produziam maior sincronia.
Os pesquisadores também encontraram evidências de que cantar em coral provoca uma diminuição generalizada da frequência cardíaca. Este seria um outro efeito da respiração controlada.
"Quando você expira, você ativa o chamado 'nervo vago' (que leva impulsos elétricos ao cérebro)... Nós achamos que isso vai do tronco cerebral para o coração", afirma Vickhoff. "Assim, quando ele [nervo vago] é ativado, o coração bate mais devagar."
Os cientistas agora querem investigar se o ato de cantar teria algum impacto na saúde das pessoas.
"Já existiram estudos sobre respiração em ioga, que é bem perto disso, e também sobre respiração guiada, que foram identificados com efeitos de longo prazo na pressão arterial... Eles viram que você pode reduzir a pressão arterial".
"Especulamos que cantar também traz benefícios à saúde".

Postar um comentário