quarta-feira, 10 de agosto de 2011

Concertos da Osesp contarão com dobradinha do regente Stéphane Denève e da mezzo soprano Kristine Jepson

Poucas vezes na recente história da Orquestra Sinfônica do Estado de São Paulo viu-se uma dobradinha entre regente e solista em duas semanas consecutivas. Pois é exatamente isso que acontecerá nos próximos concertos da Osesp. O regente francês Stéphane Denève e a mezzo-soprano Kristine Jepson subirão ao palco da Sala São Paulo para encarar tarefas bem distintas.
Na primeira semana, o programa tem início com os quatro breves interlúdios da ópera Peter Grimes, de Benjamin Britten. Na sequência, a cantora norte-americana apresenta as dolorosas Canções Fúnebres Infantis, de Mahler. A obra foi escrita no início do século XX e não se sabe ao certo se invocavam a morte precoce de alguns irmãos de Mahler ou a morte de sua própria filha, anos mais tarde. As canções remetem a diferentes sentimentos e reações que envolvem desde o luto até a culpa que os pais tendem a carregar eternamente.
O início denso e dramático é refreado na segunda parte dos concertos com a apresentação da Sinfonia nº8, de Dvorák, mais amena e mais alegre.
Na segunda semana, a dupla volta ao palco para dar vida à sinfonia dramática Romeu e Julieta, de Berlioz. O compositor iniciou os esboços de sua composição em 1828, pouco depois de assistir uma encenação da ópera, baseada na obra de Shakespeare, em Paris. Na ocasião, a atriz irlandesa e futura esposa de Berlioz, Harriet Smithson, fazia o papel de Julieta. A sinfonia só foi finalizada mais de dez anos depois, após uma forte imersão do compositor pela obra de Beethoven. Talvez por isso, Berlioz costumava dizer que sua sinfonia não era uma ópera em versão de concerto, nem tampouco uma cantata, mas, sim, uma sinfonia coral, tendo em vista que cantores e coro interpretam os papéis do conhecido casal de amantes, encargo que cabe à própria orquestra. Os concertos dessa semana contam ainda com a participação do Coro da Osesp e do Coral Jovem do Estado, comandados pela regente Naomi Munakata.
Ainda no final da segunda semana, o Quarteto Osesp retorna para mais uma apresentação da sua série de concertos de câmara. No dia 21 de agosto, às 17h, o grupo interpreta obras de Haydn, Beethoven e Schumann.
STÉPHANE DENÈVE - REGENTE
KRISTINE JEPSON - MEZZO SOPRANO
BENJAMIN BRITTEN
Peter Grimes: Four Sea Interludes, Op.33A
GUSTAV MAHLER
Kindertotenlieder
ANTONÍN DVORÁK
Sinfonia nº 8 em Sol Maior, Op.88
Postar um comentário