sábado, 6 de agosto de 2011

“Música para o Bem” Projeto tem início em Santa Bárbara d’Oeste

 Aulas serão realizadas na Estação Cultural, ministradas pelo Maestro Paulo Bellan
 Projeto é patrocinado pelas Indústrias Romi e tem apoio do Ministério da Cultura
Cerca de 30 crianças da rede pública de ensino de Santa Bárbara D´Oeste terão oportunidade de aprender música sem nenhum custo no projeto musical “Música para o Bem”. A realização é da 3S Projetos e Editora Komedi, com apoio do Ministério da Cultura e patrocínio das Indústrias Romi. As aulas iniciarão na próxima segunda, 8, e durarão até dezembro.  A Estação Cultural será utilizada como palco para aprendizado e apresentações.
O projeto “Música para o Bem” está em sua segunda edição e Santa Bárbara d’Oeste o recebe pela primeira vez. O trabalho consiste em aulas de iniciação musical para jovens de 10 a 13 anos, utilizando a flauta doce no aprendizado. Cada participante receberá um instrumento para realizar as aulas. Destacando a importância de ações como esta, a superintendente da Fundação Romi, Márcia Ameriot,  lembra que  aprender a tocar um instrumento  é muito importante para desenvolver o raciocínio e a percepção das crianças, além de aproximá-las da arte. “Vejo esse projeto como uma oportunidade para o crescimento da auto-estima e da educação musical dos jovens participantes. Um projeto importante e que merece destaque por seus objetivos”, afirma Márcia.
As aulas serão ministradas pelo Maestro Paulo César Bellan, formado em Regência, Composição e Contraponto pela Faculdade Souza Lima de São Paulo e responsável pelo coral da Fundação Romi. Segundo ele, os alunos trabalharão em conjunto as partes teóricas e práticas da formação musical. “Trabalhando dessa forma, o aluno não perde o interesse”, afirma Bellan.
As aulas acontecerão de segunda e quinta, das 9h30 às 11h00. O repertório a ser desenvolvido envolve temas como família, ecologia, folclore brasileiro e músicas natalinas. Ao final do projeto, a população terá oportunidade de conhecer os jovens flautistas em cinco apresentações abertas ao público. 
Postar um comentário