segunda-feira, 16 de setembro de 2013

30 × bienal - Transformações na arte brasileira da 1ª à 30ª edição



Com 111 artistas e curadoria de Paulo Venancio filho, a mostra contempla a representação brasileira nas bienais de São Paulo.
São Paulo - De 21 de setembro a 08 de dezembro, a Fundação Bienal de São Paulo sedia 30 × bienal - Transformações na arte brasileira da 1ª à 30ª edição. Com curadoria de Paulo Venancio Filho, a mostra, com uma seleção de 111 artistas e cerca de 250 obras, contempla a representação brasileira nas bienais de São Paulo a partir da primeira, realizada em 1951, até a última, em 2012.

Segundo Venancio Filho, nestes 60 anos, participaram mais de 5.000 artistas nacionais, sendo a própria Bienal, ao longo de tempo, um dos elementos estruturantes da arte brasileira da segunda metade do século XX. "Portanto não pode ser outro, creio, senão a relação vis a vis entre história da arte brasileira e a trajetória da Bienal o elemento determinante na escolha dos artistas e obras", explica o curador.

Integra também a exposição o rico acervo do Arquivo Histórico Wanda Svevo - por meio de registros expográficos e documentais. "Esta é uma oportunidade de o público entrar em contato com um material raro pertencente à Fundação Bienal, que tem entre suas importantes tarefas a de preservar e dar continuidade a este precioso arquivo", afirma o presidente Luis Terepins. O Arquivo Bienal é o mais importante acervo documental latinoamericano no que se refere às artes moderna e contemporânea. Criado em 1955, foi tombado pelo Condephaat em 1993, seu acervo reúne 780 metros lineares de documentos como catálogos de arte, livros, revistas, cartazes, registros históricos, dossiês de artistas, vídeos e fotografias. É aberto a estudantes e pesquisadores do Brasil e exterior.

O pensamento curatorial da 30 × bienal se constrói na busca de verificar na atualidade a presença desta tradição histórica da qual a Bienal de São Paulo - a segunda, surgida depois da Bienal de Veneza -, é parte fundamental. "Daí nossa intenção de propor uma orientação não-cronológica, flexível, que possa ultrapassar tempo e espaço, sem, entretanto, deixar de observar a continuidade histórica de seis décadas", explica Venancio Filho.

Nesse sentido, 30 × bienal determina um panorama sobre os eixos de influência na arte brasileira, que abrangem desde a abstração geométrica ao concretismo, a arte pop, a geração conceitual e o reflexo dessas direções, a cada dois anos, na produção dos artistas de hoje. Tal qual suas obras e artistas, 30 × bienal também pretende evidenciar determinadas situações expositivas consideradas fundamentais para se perceber a evolução histórica dos modos de apresentação das obras. De autoria do arquiteto Felipe Tassara, a expografia da mostra irá de encontro ao processo expositivo que se desenvolveu durante as décadas, fazendo uso das imagens e documentos do Arquivo Bienal.
Educativo Bienal

Curado por Stela Barbieri, o Educativo Bienal, em razão da mostra 30 × bienal, tem programado ações especiais que remontam também a evolução do processo educativo ao longo das últimas décadas. Entre 24 de abril e 28 de setembro, o Educativo promove um ciclo de nove encontros sobre Arte Contemporânea Brasileira no Lounge Bienal, com a proposta de refletir sobre os conceitos, artistas e obras da exposição. O curso de 30 horas também contará com Ações Poéticas e é destinado a professores e educadores sociais.

Para o mês de junho, está prevista a realização de um Seminário em parceria com o SESC-SP, que propõe a retomada histórica dos serviços educativos das trinta bienais a partir de palestras de renomados educadores, como Paulo Portella Filho e Ivo Mesquita. A programação também conta com o curso para atendimento do visitante durante a exposição, e outros encontros de formação para professores e educadores - apoiados pela produção de um novo material educativo, com tiragem de 5 mil exemplares e distribuição gratuita.

30 × bienal - Transformações na arte brasileira da 1ª à 30ª edição
De 21 de setembro a 8 de dezembro 
Fundação Bienal de São Paulo - Parque Ibirapuera · Portão 3
Ter, qui, sáb, dom e feriados: 9h - 19h (entrada até 18h)
Qua, sex: 9h - 22h (entrada até 21h)
Fechado às segundas-feiras
Entrada gratuita

 

 
Postar um comentário