terça-feira, 24 de setembro de 2013

9 livros que você não pode deixar de ler

Arthur Schopenhauer

A Arte de Escrever, de Arthur Schopenhauer

Este livro de Arthur Schopnehauer, um dos mais importantes filósofos alemães, é uma antologia de ensaios selecionados do livro “Parerga e Paralipomena”. Neles, o autor traz reflexões ao mesmo tempo profundas, entusiasmadas, ferinas e irônicas sobre o ofício de escrever e, portanto, de pensar. Um livro importante para todos os que se dedicam a este ofício.
Rubáiyát, de Ommar Khayyam

É uma das obras poéticas que mais me estimularam nos últimos anos. Pois contém diversos níveis de interpretação, podendo, ao mesmo tempo, ser lido superficialmente como uma ode ao hedonismo ou, mais profundamente, como um livro de poesia mística da melhor qualidade. Seu autor, Omar Khayyam, é um dos maiores poetas da literatura islâmica.

Lisístrata: A Greve do Sexo, de Aristófanes

Peça grega escrita por Aristófanes. Ainda que tenha sido escrita há cerca de 2.500 anos, é super atual, retratando a guerra entre os sexos. Em sua história, as mulheres de Atenas, lideradas por Lisístrata, revoltam-se contra as guerras provocadas pelos homens e descobrem a única maneira de conseguir a paz em toda a Grécia: enquanto a guerra perdurar, elas não mais abrirão as pernas para os seus maridos… O texto é cômico e ao mesmo tempo uma reflexão sobre as diferenças na arte de governar entre homens e mulheres. Um dos melhores livros que li este ano. A tradução realizada por Millôr Fernandes com certeza conta muito para o resultado final.
Hai-Kais, de Millôr Fernandes
Um coletânea dos hai-kais escritos por Millôr Fernandes entre 1959 e 1986, trazendo toda a concisão, ironia e sagacidade típicas do autor. Hai-kais são um estilo de poesia japonesa, contendo apenas 3 versos. Millôr é um dos maiores escritores deste tipo de poesia em lingua portuguesa.

Vidas Secas, de Graciliano Ramos

Considerado por muitos como a obra prima de Graciliano Ramos, o livro retrata a vida de uma família que vive no sertão brasileiro e todos os sacrifícios por que passam para sobreviver. Cada capítulo conta a história sob a perspectiva de uma personagem, Fabiano e sua família, incluindo Baleia, sua cadela, incrivelmente a personagem mais humana do romance!

A Revolução dos Bichos

Ao mesmo tempo uma fábula e uma sátira mordaz, A Revolução dos Bichos é a história dos animais de uma granja se rebelam contra o Homem que os oprime e assumem o poder. Em seguida, começam a cometer todos os mesmos erros que qualquer poder revolucionário comete ao assumir o governo: de oprimido torna-se opressor. Ao lado de 1984, é a grande obra prima de George Orwell.

Além do Bem e do Mal, de Nietzsche

Um dos principais livros de um dos maiores filósofos alemães de todos os tempos: Friedrich Nietizsche. O próprio autor o considerava sua mais importante e abrangente obra. É uma excelente porta de entrada para o seu pensamento, pois nele são abordados quase todos os temas de sua filosofia. Simplesmente um livro fundamental.

O Romance de Tristão e Isolda, de Joseph Bédier

Escrito no século XII por Joseph Bédier, este livro extraodinário contém os elementos típicos das histórias de amor cortês e cavaleirismo da época. Tristão é um nobre cavaleiro que se enamora por Isolda, a Loura, que entretanto é prometida ao Rei Marc, de quem é súdito. A narrativa contém todos os elementos típicos das histórias da era medieval: amor proibido, lutas contra dragões, poções de amor etc. É fantástico. Eu o li no começo da minha adolescência e até hoje a história me empolga.

O Casamento do Céu e do Inferno e outros escritos, de William Blake

O grande clássico literário de William Blake, poeta e pintor inglês do século XIX. Em O Casamento do Céu e do Inferno, através de aforismos, Blake formula uma posição religiosa e política revolucionária, em que nega a realidade da matéria, da punição enterna e da autoridade. Deste livro, seu poema mais famoso é o “Provérbios do Inferno”, em que figuram famosos versos como “O caminho do excesso leva ao palácio da sabedoria/ A Prudência é uma rica, feia e velha donzela cortejada pela Impotência/ o tolo não vê a mesma árvore que o sábio vê/ Prisões se constroem com as pedras da Lei; Bordéis, com os tijolos da religião”, entre tantos outros. É um livro que não canso de ler e reler ao longo dos anos.

http://entremundos.com.br/
Postar um comentário