quarta-feira, 23 de novembro de 2011

Orquestra Sinfônica de Campinas apresenta o fagotista Fábio Cury, sob a batuta do maestro carioca André Cardoso

No repertório, obras de Mozart, Guerra-Peixe e Dvorák; apresentações neste final de semana
Um instrumento diferente e um solista popular no cenário erudito.  A Orquestra Sinfônica de Campinas apresenta o fagote e seu intérprete, o músico Fábio Cury, um dos mais conhecidos da atualidade, nos concertos deste final de semana (sábado, às 20h; domingo, às 11h), no Teatro do Centro de Convivência Cultural.
Sob a regência do maestro carioca André Cardoso, a Sinfônica interpreta o Concerto para Fagote, de Wofgang Amadeus Mozart (1756-1791), Sugestões de Coral e Dança, de César Guerra-Peixe (1914-1993) e a Sinfonia nº 8, de Antonín Dvorák (1841-1904).
As obras
O concerto de Mozart para fagote foi escrito em 1774 na sua cidade natal, Salzburgo, em um período anterior às longas viagens de estudos e experimentos que realizou pela Europa.
Esta foi seu primeiro concerto para instrumento de sopro e acredita-se que tenha escrito outros três para fagote, mas estes nunca foram localizados. Foi dedicado ao Barão Thaddaeus von Duernitz, músico amador de Munique, para quem também escreveu posteriormente a Sonata em Ré Maior , K284 (1775), os outros três concertos desaparecidos para fagote e uma sonata para o mesmo instrumento.
O compositor Guerra-Peixe foi um dos fundadores do Grupo Música Viva, que abandonou em 1949, por ocasião de uma viagem a Recife, onde assistiu à diversas apresentações folclóricas. Ficou tão impressionado com o maracatu, que, finalmente, decidiu abandonar definitivamente o dodecafônismo, voltando ao nacionalismo musical.
A composição Sugestões de Coral e Dança pertence à fase nacionalista do compositor e foi apresentada em setembro de 1972.  A obra foi dedicada a um grupo amador, a Orquestra Sinfônica da Guanabara, que na época deveria contar com um bom efetivo, já que a orquestração prevê flauta, oboé, fagote, quatro trompas, três, trompetes, três trombones, tímpanos, percussão e cordas.
Guerra-Peixe é autor de obra vasta, abrangendo praticamente todos os gêneros musicais. Compôs duas sinfonias, uma das quais dodecafônica. Compôs ainda duas suítes sinfônicas, numerosas peças de música de câmara (Noneto, Trio 1945, Quarteto 1947), três peças para violão (Ponteio, Acalanto e Choro) além de obras para flauta, violino, fagote, piano, entre outras.
A Sinfonia nº8, do tcheco Antonín Dvorák, teve sua estréia em 1890 sob a regência do compositor. Uma das características da obra é a tonalidade de sol maior, pouco usual nas sinfonias românticas, e a alternância do modo maior e o modo menor. Para o biógrafo de Dvorák, Kretschmar, a Sinfonia n° 8 é um poema lírico que canta a beleza de seu país, mais importante pelo seu espírito do que pela sua forma.
 Serviço:
Orquestra Sinfônica de Campinas
Datas e horários:
26/11 (sábado), 20h
27/11 (domingo), 11h
Regente: André Cardoso
Solista: Fábio Cury (fagote)

Programa:
CÉSAR GUERRA-PEIXE
Sugestões de Coral e Dança
WOLFGANG AMADEUS MOZART
Concerto para fagote em Bb Maior , KV191/186e
ANTONIN DVORAK
Sinfonia Nº8
Ingressos: R$ 20,00 (inteira) e  R$ 10,00 (estudantes, aposentados e maiores de 60 anos)
Local: Centro de Convivência Cultural Carlos Gomes (Praça Imprensa Fluminense, s/n - Cambuí - Campinas / SP)
Bilheteria: 16h às 21h (quarta a sábado); domingo, a partir das 10h . Telefone: (19) 3232-4168 begin_of_the_skype_highlighting              (19) 3232-4168      end_of_the_skype_highlighting
Postar um comentário