sexta-feira, 23 de novembro de 2012

MUNICIPAL DE SÃO PAULO APRESENTA MACBETH


COM DIREÇÃO DE ROBERT WILSON

DIAS 23, 25, 27 e 29 de novembro de 2012

Em estreia mundial no Theatro Municipal de São Paulo, Macbeth(Giuseppe Verdi, Florença, 1847) encerra a temporada do diretor norte-americano na cidade, com a Orquestra Municipal de São Paulo e o Coral Lírico sob a regência do maestro Abel Rocha, diretor artístico da casa. Concebida por Robert Wilson, em coprodução com o Theatro Municipal de São Paulo, Teatro Comunale di Bologna e Change Performing Arts Milano, a nova produção festejará na Itália, em 2013, os 200 anos do nascimento de Giuseppe Verdi (Itália, Roncole, 1813 – Milão, 1901).

Com Macbeth, o diretor norte-americano volta ao Theatro Municipal de São Paulo depois de quase quarenta anos. Em 1974, apresentou The Life and Times of Joseph Stalin que, por imposição da censura, teve o título alterado para A Vida e a Época de Dave Clark. O espetáculo, que chegara ao Brasil pela mãos de Ruth Escobar, com suas 12 horas de duração, marcou a cena cultural da cidade.

Para Macbeth, Robert Wilson segue aplicando a sua linguagem formal direta ao repertório operístico. Wilson concebe a sua “sinfonia visual” ouvindo a música até compreender a estrutura do compositor, para criar, com sua singular linguagem, um espaço inimaginável que revoluciona o teatro contemporâneo. “Eu respeito o que o compositor escreveu na sua partitura e, em seu Macbeth, Giuseppe Verdi foi extremamente fiel a Shakespeare”, diz Wilson. Segundo ele, a dificuldade é encontrar um caminho próprio: “devemos respeitar o mestre e ao mesmo tempo evitar tornarmos seu escravo”. 

Para o diretor, ainda, a ópera de Verdi é muito precisa, não existindo uma única palavra ou nota que seja supérflua. “Para que a sua força se sobressaia, deve-se ter cuidado para não contar muitas coisas ao mesmo tempo: a superfície tem que ser simples e acessível para que a complexidade possa aflorar”, comenta Wilson. Segundo ele, há uma parte da peça de Shakespeare incorporada por Verdi à sua ópera que o arrebata – a reação de MacBeth no momento em que lhe contam que sua mulher acaba de morrer.

Entre as suas versões para óperas consagradas, destacam-se Aída (GiusepeVerdi), A Flauta Mágica (Wolfgang Amadeus Mozart), O Ciclo do Anel do Nibelungo (Richard Wagner), Madama Butterfly (Giacomo Puccini), Pelléas et Mélisande (Claude Debussy), A Mulher sem Sombra(Richard Strauss), Orfeu (Claudio Monteverdi). Para selecionar o elenco de Macbeth, contou com o maestro Roberto Abbado.

Depois de A Ópera de Três Vinténs e Lulu, Macbeth é o quarto trabalho que o encenador traz à cidade neste ano, já que em abril esteve em cartaz com A Última Gravação de Krapp. Antes disso, além do espetáculo no TMSP, outras obras do diretor vieram ao Brasil, como Time Rocker, com música de Lou Reed, no Rio de Janeiro em 1998, Quartett, em São Paulo em 2009, e Dias Felizes, em Porto Alegre em 2010.
23 sex 20h, 25 dom 17h, 27 ter 20h, 29 qui 20h
“Macbeth” – ópera de Giuseppe Verdi (duração total com 2 intervalos - 3h)
Estreia mundial de nova produção de Robert Wilson
Comissionada pelo Teatro Comunale di Bologna
Orquestra Sinfônica Municipal e Coral Lírico
Direção Musical e Regência – Abel Rocha
Cenários, concepção de luz e direção cênica – Robert Wilson
Nicola Panzer – diretora associada
Konrad Khun – dramaturgia
Jacques Reynaud – figurinos
A.J. Weissbard – desenho de luz
Annick Lavallée-Benny – cenógrafa associada
Macbeth – Angelo Veccia
Banco – Carlo Cigni
Lady Macbeth – Anna Pirozzi
Macduff – Lorenzo Decaro
Dama de Lady Macbeth – Elayne Caser
Malcolm – Gabriele Mangione
Médico – Alessandro Svab
Sugestão de faixa etária: acima de 10 anos
Ingressos: R$ 100, 60 e 40

Theatro Muncipal de São Paulo
Praça Ramos de Azevedo, s/nº
Telefone: 3397-0300
Bilheteria: 3397-0327
ingressorapido.com.br
Postar um comentário